quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Para onde foram?



Vive com a sublime memória das palavras que partiram.
Partiram, talvez, ou mesmo por certo, para um futuro que não passará de um outro presente.
As que ficaram tornaram-se errantes, andam perdidas, pisam hoje um chão que é já outro, de cardos feito, lhes embaraça o andar e lhes tolhe o vocabulário.
Apesar disso esforçam-se por encontrar o legado dos seus antepassados, as palavras que já cá estavam, por cá andavam, antes de quem hoje as procura.

 

6 comentários:

São disse...

Em silêncio, lhe deixo um abraço comovido, meu querido Carlos.

Rogério Pereira disse...

Pega no sonho que deixaste cair
Reergue-o à altura do peito
onde sempre tiveste o coração
Isso, assim. Agora podes sorrir
E as palavras queridas regressarão

Rosa Carioca disse...

Que o futuro possa ser um presente melhor!
Feliz 2013!

quem és, que fazes aqui? disse...

Estamos os dois sem elas. Fazem-nos falta? Alguma... só para exteriorizar. Porque o que sentimos, senti-lo-emos sempre sem palavras.

Com carinho, um beijo

Laura

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muitos subscrevem este seu texto.
Eu subscrevo.
Meu amigo, apesar de tudo, venho
desejar-lhe o melhor 2013 possível.
Um abraço
Irene Alves

ematejoca disse...

Agradeço e retribuo os votos de BOAS FESTAS, meu caro amigo, e que tenha o mais feliz dos anos, um 2013 repleto de saúde, amizade e amor.

O seu regresso à blogosfera com as suas profundas palavras, foi para mim, um motivo de satisfação.

Abraço da amiga de longe!