sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Recordar Saramago

“Ao contrário do que em geral se pensa, tomar uma decisão é uma das decisões mais fáceis deste mundo, como cabalmente se demonstra pelo facto de não fazermos mais nada que multiplicá-las ao longo de todo o santíssimo dia, porém, e aí esbarramos com o busílis da questão, elas sempre nos vêm à posteriori com os seus problemazinhos particulares, ou, para que fiquemos a entender-nos, com os seus rabos por esfolar, sendo o primeiro deles o nosso grau de capacidade para mantê-las e o segundo o nosso grau de vontade para realizá-las.”
(in O Homem Duplicado, 2º edição (2003), pag. 273)



9 comentários:

La Preciosa disse...

Olá Carlos. Obrigada pela leitura. Sabe que eu devia ter escrito almofada?Pensando bem talvez tenha sido isso que a minha personagem usou. Eu tb achei que travesseiro nao estava legal, mas não me lembrei de escrever almofada. Os meus contos têm muito de mistura, são fatos reais permeados de fantasias, então algumas coisas eu crio, é claro. Outras coisas eu tenho que modificar muito, para que a pessoa retratada nao se reconheça nos meus contos, acredita?
Mas eu fiz um conto sobre uma mulher que amava Saramago, (esse é 100% ficção) e estou criando coragem para postá-lo, afinal a minha filha já falou:"mãe, esse seu novo Blog tá muito ousado".
Enfim, vou ver se crio coragem e posto o conto sobre Saramago.(é tragicômico)
Abração

Rogério Pereira disse...

Saramago era um maroto ao retratar-me assim... Guardo sempre para amanha aquilo que decidi e podia fazer hoje. Decidir foi uma decisão fácil... Amanhã, que tenho que fazer o que ontem adiei, tomarei a decisão de voltar a adiar...

ematejoca disse...

O Homem Duplicado foi o segundo livro do Saramago, que uma familiar portuguesa me ofereceu.
Na última quinta-feira recebi um outro livro dele.
Depois da cde domimgo do Rogério, publico um trecho desse livro que comecei só agora a ler.
Até lá um abraço da amiga de longe, Teresa

Marilu disse...

Querido amigo, tenha um lindo final de semana...Beijocas

La Preciosa disse...

Carlos, publiquei o conto sobre Saramago, perdi aquele arquivo do conto sobre a admiradora dele, e escrevi outro conto, mais sério.
Quando vc tiver um tempinho, gostaria que o lesse.
obrigada.

Maria João disse...

Carlos

Manter ou realizar, uma ou mais decisões, que ao longo do dia tomamos, sendo o verdadeiro busílis ( gosto tanto desta palavra..), da nossa vida é bom que exista sempre. Essa é a prova confirmada que não ficamos inertes, a ver o tempo passar sem tomar decisão nenhuma. Sendo nula, é também ela uma decisão, a menos inócua de todas.

Grande Saramago!

Grande Carlos Albuquerque, que aqui o recorda!

Um beijinho e obrigada pelo que, ao que escrevi, tanto acrescentou.

La Preciosa disse...

Obrigada pelo que escreveu lá no meu Blog. A sua opinião é muito importante para mim, pois respeito muito o seu conhecimento e talento para as letras.

Brown Eyes disse...

....o nosso grau de capacidade para mantê-las e o segundo o nosso grau de vontade para realizá-las.”
Concordo plenamente por isso não tomo decisões que não possa cumprir e detesto quem fala facilmente e com a mesma facilidade não cumpre o que diz. Para isso estou calada. Beijinhos
Espero que estejas melhor

Raquel disse...

"Vivem em nós inúmeros, se penso ou sinto, ignoro quem é que pensa ou sente, sou somente o lugar onde se pensa e sente, e, não acabando aqui, é como se acabasse, uma vez que para além de pensar e sentir não há mais nada."

O Ano da Morte de Ricardo Reis