segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Natal apresta-se.

Há quem seja feliz a dizer que passa a vida a pensar na infelicidade dos outros.
Há os que têm dinheiro e os que têm fome.
Há os que têm a consciência na alma que lhes não dói.
Há os que a têm na carne que sangra.
---
(Hoje o sol-posto demorou-se, encarrapitado num nuvem que ficou. Depois, partiu triste.)

14 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Penso, não o tempo todo, na infelicidade alheia, mas isso não me faz feliz.
Meu amigo Carlos, venho justamente desejar-lhe um Bom Natal.
Já fiz meu último post.
Desejo bons dias a si e aos seus.
Beijos e abraços,
Renata Cordeiro

Maria disse...

Não gosto deste época de tanta hipocrisia. Mas adoro ver a excitação das crianças quando recebem um presente...
Às vezes nem eu me percebo.

:(

Marilu disse...

Querido amigo, seu texto é uma grande verdade, tantos com tanto, e tantos sem nada. Alguns com Natais fartos, outros sem ao menos ter o que comer. Há uma diferença muito grande entre ricos e pobres. Beijocas

Luís Coelho disse...

Haverá pessoas felizes...?

Pensarão elas que barriga cheia é felicidade...?

Natal cada vez mais vazio de valores e sentimentos de amor e partilha, Doação e compreensão.........

acácia rubra disse...

Ah, Carlos, não havia de partir triste, se há tantos que são felizes e tão poucos a quem a alma sangra!

Beijo

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

Eu: Há quem bata no peito, com jeito
Meu Contrário: Há quem se liberte pela caridade, virando a cara à verdade
Minha Alma: Há quem ponha uma bola colorida num fingido pinheirinho, em troca de um sorrisozinho...

(será que há quem não goste deste seu post?)

FMF disse...

Há, nesta quadra, por vezes, excessiva severidade com nós próprios. Temos de ajudar os outros, é certo. Mas não podemos viver a vida de ninguém ou por alguém.

kandandos,

palavrasasolta disse...

Já é a segunda vez que venho reler o seu post, e queria dizer algo profundo, mas na minha ignorância, deixo apenas a nota que cada vez se esquecem os valores pelos quais nos deveriamos reger, em troca de coisas materiais que nos atravancam a casa e, porque não, a alma.

Maria João disse...

Carlos
Meu amigo

E, felizmente, ainda há quem passe todo o ano a ser feliz, apenas por aliviar o sofrimento dos outros, mesmo que à distância das suas mãos, e só se permita chorar à noite quando ninguém está por perto.
Há ainda, quem trasporte o Natal dentro de si, todo o ano.

Felizmente.... ainda há, mas são cada vez menos!

Um beijinho

Fê-blue bird disse...

Hoje demorei-me, no seu post. Fiquei triste e a pensar que o Natal é isto mesmo que o amigo escreveu.
Mas como sou ainda,uma sonhadora com alguma esperança;-), queria a sua opinião acerca do post que fiz com o nosso conto de Natal, o título é seu!

beijinhos

maria teresa disse...

Este ano esta quadra está a ser particularmente penosa, não porque esteja doente, mas porque tenho consciência do ano que se avizinha e sou menos que um grão de areia para poder minimizar a situação. Sinto-me impotente e lamechas.
Abracinho meu!

manuel aldeias disse...

Meu caro amigo em tão poucas palavras conseguiu dizer tanto.
Pois é, ele há os hipocritas e tambem aqueles que têm realmente um coração grande e maravilhoso, o nosso mundo é mesmo assim.

O Puma disse...

Bem-vindo ao meu Puma

Rogério Pereira disse...

Tenho uma oferta para si e para todos os que escreveram no conto colectivo da Fê...
Isso mesmo, para todos os intervenientes
(acho que vão ficar contentes)