quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Do Mwata


Mais alguns dias, não tantos que não se possam contar pelos dedos das mãos e dos pés, mais alguns, e é Natal!
E depois?
Vá, digam.
E depois?
Bom dia, para uns; boa tarde, para outros; e para outros, ainda, boa noite!
Para todos, um abraço.
Que cada um responda à pergunta: E depois?


13 comentários:

rosa-branca disse...

E depois virá um novo ano, velhas recordações, que se vestem de novo. O tempo permanece inalterável e nós vamos deslizando por ele, até que a noite chegue e o dia se acabe. Cada minuto é um segundo neste relógio, que não perdoa mesmo a quem dele não quer saber. Uma boa noite meu amigo. Beijos com carinho

AVOGI disse...

MÊ DÊS!!!! quase a nada Natal???
ainda nao comprei nada nao fiz nada de natal!!!
kis :=(

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Depois, como acontece Natal após Natal,as pessoas voltam ás mesmas rotinas, aos mesmos comportamentos, à mesma indiferença. Este ano, talvez seja um pouco pior, porque 2011 nos vai mostrar um país cada vez mais conformado à sua sorte, incapaz de reagir a utros estímulos que vão para além da bola.

ematejoca disse...

E depois a vida continua...
Continua sempre... sempre...
Até que um pedaço de mim
Seja um bocado disso tudo!!!

Saudação natalícia da amiga de longe.

Rogério Pereira disse...

Depois...
comemos bacalhau mesmo que o azeite não dê
comemos sonhos mesmo sem lhes ver a calda açucarada
e as crianças desembrulham presentes
e, dessa noite, não restará mais nada
do que o calor da familia às voltas com uma data

Nunca escreveria isto se não tivesse perguntado aquilo

Luís Coelho disse...

...a vida continua e assim vamos vivendo de ilusão em ilusão, cuidando que este viver continuará....

Amapola disse...

Bom dia, querido amigo.

E depois? Que o cotidiano de cada um seja de paz, saúde, e esperança.

Adoro estar aqui. Pena que continuo sem internet.
Saudades muitas. Beijo no coração.

La Preciosa disse...

Faz muitos anos que parei de fazer planos para o novo ano. Na maioriadas vezes os planos não davam certo e eu ficava frutrada e infeliz. Agora que estou ficando velha estou começando a aprender a viver.
Outro dia mesmo eu disse isso para o meu psicólogo. (é, eu comecei a fazer terapia, depois de velha).
Eu disse assim: Que pena, que agora que estou no fim, eu estou começando a aprender a viver da forma mais simples, sem neuras. Ai ele me respondeu: Que fim? A senhora vai viver muito, agora a terceira idade vai longe!Agora vocês se cuidam muito.
Enfim o que quero te dizer é: o que será o amanhã? Eu nao sei meu amigo, eu nao sei mesmo.
Responda quem souber!
Postei uma música da Simone no meu blog, vai lá ouvir, é uma lição de vida.

acácia rubra disse...

Depois?

Uns, poucos, deitam papéis, muitos, no Papelão.

Outros, muitos, estendem a mão...

Beijo

manuel aldeias disse...

Naal vem, Natal passa e, a vida continua com mais ou menos monotomia.
A vida continua, oxalá com muita paz e muito amor.

Agulheta disse...

Amigo Carlos.Grande tema e algo pertinente! Para muitos este e outros será sempre bom...o pior é para a maioria que pouco tem e cada vez tem menos.Para mim,será um festejo em família,com paz e amor,o resto bem por acréscimo,uma coisa é verdade me lembro muito de quem não tem?Depois se verá como vai ser 2011.
Beijinho e tudo de bom

maria teresa disse...

E depois as pessoas que andam numa falsa euforia a consumir em excesso, continuando a não enfrentar a realidade, vão comemorar a entrada de 2011 e talvez então percebam que o país está a atravessar uma crise gravíssima e que devíamos estar todos unidos a lutar por um Portugal mais justo...

TERESA SANTOS disse...

O mês pior do ano. Sim, sim, não me enganei: o pior.
O pior porque a solidão pesa em duplicado, porque a carência pesa em duplicado, porque a afronta daqueles que esbanjam, em detrimento daquele que nada tem, pesa em duplicado, porque a injustiça pesa em duplicado, porque a falta de um braço/abraço pesa em duplicado, porque a falta do filho/a que não tem, sequer, uma palavra pesa em duplicado, porque a hipocrisia sobe um duplicado.
Abraço, Mwata.