quarta-feira, 27 de abril de 2011

E vão dois anos!

Nos dias passados nas terras do Sul ventou, choveu e trovejou. Alturas houveram em que pareceu ir o céu cair. Mas, não! Fortes, como são, os pilares do Tempo aguentaram-se com a algazarra lá de cima. Num desses dias o calendário disse-me estarmos a 24 de Abril. Olha! Faz hoje dois anos que nasceu o Conversas Daqui e Dali, corria a tarde de 24 de Abril de 2009. Dois anos no mundo virtual da bloga, vendo surgir amizades, gerarem-se afectos e proporcionarem-se encontros e desencontros através do sortilégio das palavras, embora nalguns casos apenas de bocados delas. O número de seguidores inscritos muito me honra e sensibiliza. A todos, muito obrigado!

Como os meus amigos e visitantes sabem, nesta cubata habitam três personagens: O Mwata, o Viajante e eu próprio. Pois quero dizer-vos que no último dia 24, numa pausa do mau tempo, encontrámo-nos os três.

O Mwata apareceu-me com ar de recluso, que anda a comer o passado, mas de alma desconsolada, de angústia trajada, reclamando presente e futuro. Achei-o cansado, assim com ar de ser a quem se esgotaram as sensações inúteis, e de se ter chegado ao pôr-do-sol do esforço. Existir sem viver e sentir sem pensar é coisa de que não gosta. Por isso se demorou nas palavras quando mo disse.

Atarefado surgiu o Viajante, que nem sentar-se quis. Explicou, ele, andar há tempos numa lufa-lufa, à procura das palavras migratórias. Disse, também, que quando viaja pelo que o rodeia pouco mais encontra do que uma ténue luz quase apagada. E acrescentou estar cansado da palavra dos homens e dos homens sem palavra. Ainda lhe ouvi o que se me afigurou ser a palavra encruzilhada. Quase o senti como estando num desterro, tal a inquietação de estar longe que denotava.

A noite chegou-se. Perguntaram-me ambos, em uníssono: E tu?

Não era suposto haver tal atrevimento. Como, porém, não é meu hábito deixar perguntas no ar, respondi-lhes, não sem antes ter feito um gesto, daqueles que se fazem quando se desenha um sonho em busca de um alento:

Eu vou encostar-me a esta noite, idêntica às últimas, onde a Lua se esconde. Nela ficarei com o gesto guardado.


12 comentários:

ematejoca disse...

MUITOS PARABÉNS!

Rogério Pereira disse...

Parabéns meu caro. Aproveito para dar forte abraço ao Mwata e também palavras de amparo. Darei igual abraço ao Viajante quando com ele me cruzar nos "Caminhos do Meu Navegar" (a descoberta de três em um é sempre um prazer...)

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Afinal temos mais qualquer coisa em comum do que algumas coincidências de opinião.
O meu blogue nasceu um dia antes do seu. Na verdade o primeiro post foi publicado a 24 (republicado este ano).
Claro que o meu caro é um homem da escrita, o que não é o meu caso.
Que por muitos anos assinalemos o aniversário dos nossos Blogues e que vamos juntado as vozes na defesa daquilo que nos pareça justo.
Abraço
Rodrigo Henriques

Malu disse...

Carlos, amigo querido!!!
Pois que muitos mais anos venham e que aqui permaneça a nos brindar com as palavras tuas e dos teus dois companheiros em uníssono.
Parabéns pela tua caminhada!
Grande abraço

Dulce disse...

Parabéns, Carlos, por estes dois anos de prosa sempre muito agradável. E obrigada, aos três, pelo muito que nos ofereceram nestes dois anos.
Beijos e que venham muitos outros anos de boa companhia...

Agulheta disse...

Amigo Carlos.Já algum tempo que aqui não vinha por motivos meus.Talvez um pouco como o seu viajante,cansada de ouvir certas palavras que nada dizem.Fico feliz pela vinda a este espaço do qual admiro muito as palavras que aqui escreve e por quem tenho grande estima.Beijinho muita saúde

Neve disse...

Dois anos? parabéns! Seu blog já caminha pelas próprias pernas!
Que bom que voltou da férias com vontade de postar!

acácia rubra disse...

Carlos

Parabéns pelo blogue.

Por favor, diz ao Mwata que o pôr-do-sol do esforço é sempre prenúncio de um bom amanhecer porque para trás ficou todo um passado que faz viver e sentir e lhe permite dar de si.

Transmite ao Viajante que essa descrença nos homens é sentida por muitos viajantes também.

A ti, peço que não te fiques com/no "gesto guardado" pois é muito bom ler o que escreves.

Beijo

Fê-blue bird disse...

Amigo Carlos:
Muitos parabéns pelo 2º aniversário destas suas "conversas daqui e dali" que tanto aprecio.
Ao Mwata desejo um pouco mais de alento para ultrapassar tanto tormento ;)
Ao atarefado Viajante peço mais calma, pois tem ainda muitos e caminhos a percorrer.
E a si meu amigo desejo que o seu gesto em forma de sonho se concretize.

beijinhos

Laura disse...

Já o seu blogue é adulto e o meu bebé ainda.

Que através do meu, daqui a dois anos, eu possa vir aqui dar-lhe, de novo, os parabéns.

Beijinho

Maria João disse...

Carlos
Retomo hoje, também eu, após alguns dias de ausência, à troca prazerosa das palavras. Palavras que aqui, me têm proporcionado momentos de verdadeira e saudável partilha de ideias, sentires e afectos, com alguém que se foi tornando, ao longo destes dois anos, um amigo de verdade.
Um homem de e da palavra, que escreve em nome de três personagens, mas que em cada uma delas se revela; inteiro, integro e profundamente humano na forma como sente a vida e tudo o que o rodeia.
Tenho aprendido muito consigo, meu amigo Carlos. E de todas as aprendizagens, talvez a mais evidente seja a de que, a amizade feita de palavras na blogosfera, pode ser tão verdadeira e fiel como aquela que se constrói na proximidade dos gestos.

Obrigada por tudo!

Que venham muitos mais anos deste seu contributo, tão valioso. Anos que lhe desejo de muita saúde, esperança e inspiração. Porque, é ao pôr-do-sol que o céu adquirir a cor e o brilho mais sublime. Aquele que não consegue ter em qualquer outro momento do dia.

Um beijinho

Brown Eyes disse...

Parabéns Carlos e bendita hora que ele nasceu. Beijinho