quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Greve Geral


Depara-se-nos, de novo, o cabo das tormentas. Tormentas já vencidas por mais de uma vez. Com todos os golias que os rodeavam, os adamastores acabaram sempre por vergar-se, perante os nossos davides. É tempo de voltarmos a pegar nas nossas fundas, apagarmos o sorriso falso e afastarmos a astúcia das carícias fingidas com que nos fustigam o corpo nos fazem doer a alma e nos humilham o espírito.
As medidas de austeridade que querem impor à parte já, e desde sempre, sofredora do povo português são despidas de solidariedade e humanismo. São bárbaras e desumanas.
Enquanto português sinto-me ofendido. Tais medidas repugnam-me, como porcaria que são. E mais me repugna o sorriso alarve e grotesco com que os membros do Governo (o ministro das Finanças e PM gargalharam) se apresentaram na Assembleia da República, aquando da discussão do Orçamento do Estado!
Durante a minha vida, não muito curta que já sou pensionista, jamais deixei de aderir e participar numa greve. A não submissão está-me no sangue como, creio, corre, igualmente, pelas veias dos meus compatriotas.
Aos meus compatriotas, mesmo àqueles que pensam que as medidas de que acima falo os não beliscarão em demasia (um erro, porque depois dos outros seremos nós), não peço, mas digo: Adiram à greve, apoiem-na. E, depois dela, façam de ruas e praças o seu sítio de estar. Nunca um machado cortou a raiz ao pensamento nem tolheu o gesto de recuperação da dignidade de um povo, que a sente perdida.
Gostava de ver amanhã uma bandeira portuguesa em cada janela, como sinal de apoio à greve.


11 comentários:

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:

Concordo e subscrevo tudo o que tão bem escreveu.
Como portuguesa,também estou ofendida e farta de pagar tanta incompetência, é tempo de cortar o mal pela raiz.
Não poderei por motivos pessoais estar amanhã em protesto , mas vou aderir ao seu pedido e colocar uma bandeira na minha janela .
beijinhos

acácia rubra disse...

Carlos

Estou ZANGADA, não digo desiludida porque já cá ando há muitos anos e já vi muita coisa.

Hoje, na sala dos professores (estariamos lá cerca de 30), falando-se da greve, acredita que OUVI palavras que me arrepiaram e me fizeram dizer o que pensava.

Imagina que se argumentou que não faziam greve porque na situação actual não era relevante; porque ficavam sem o dinheiro; porque os programas era demasiado compridos... porque...porque.

Apenas eu e outra colega dissemos que a faríamos.

Mas, amanhã, se os funcionários da cozinha/cantina não comparecerem; se os auxiliares também não, os professores não terão condições para dar aulas. As faltas não serão de greve mas de incapacidade e falta de condições.E virão para casa de bolso mais cheio.

É este o mundo em que se movem muitos de nós professores. São a estes que,não tendo valores, entregamos as nossas crianças.

Apeteceu-me dizer-lhes uns quantos palavrões. Apeteceu-me dizer-lhes o que disse há uns anos atrás a uns colegas, quando o ME impôs o 9º escalão. Eu, que não era nada comigo, fiz greve e eles, que iam apanhar com a tal lei nova, foram para a escola. Desanquei-lhes nessa altura.

Hoje, depois do que ouvi, olhei-os e rematei o que me veio à cabeça e me saíra da boca com INVERTEBRADOS.

Vês, quem pode contar neste país com a Solidariedade, o ombro a ombro, o dar das mãos, a Justiça e a Liberdade?

De facto, HÁ FILHOS DE MUITAS MÃES!!

Muito zangada. MESMO.

Beijo

Rogério Pereira disse...

A bandeira estará lá.

acácia rubra disse...

Carlos

Voltei porque só agora me lembrei... não te tinha agradecido as palavras que me deixaste.

A "viagem" está a ter a rota que cumpro. É que quero chegar e isso é muito importante.

Desculpa!

Beijo

rosa-branca disse...

O povo tem que lutar se não é por si pelos filhos ou pelos netos. Assim é que não pode continuar. Assino e subscrevo. Beijos com carinho

São disse...

Assino por baixo este texto digno e justo que aqui colocou.

Um abraço fraterno, Carlos.

folha seca disse...

Caro Caro Carlos Albuquerque
Antes de mais agradecer o seu compreensivo comentário.
Acredite que até provoquei lá o meu pessoal, mas nada. Mas não estou em posição de fazer seja o que for.
Estou com uma dose de raiva e vergonha.
O seu texto ajudou a aliviar. Mas vou procurar uma Bandeira Nacional, ah isso vou.
Um grande abraço
A luta continua

Utena disse...

Estas greves apenas fazem mossa em quem trabalha e não ataca onde deveria.
Não concordo com ela a fazer alguma coisa façam onde doí mais

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro Carlos
Se me permite, assino por baixo. Lá estarei, obviamente.
Grande abraço

Brown Eyes disse...

Carlos cá estou eu a fazer greve mas muitos não dão a cara mas se houver frutos para colher serão os primeiros da fila. União neste país não existe e as pessoas deixaram de saber quando é necessário lutarem. Esperam o quê? Depois de tudo por que já passamos e continuamos a ver excepções, como o subsídio de alojamento para ministros e secretários ou ainda a fortuna que a madeira gasta para se embelezar para a quadra, muitos outros há, que esperam? Que acham eles que seja a justiça? Sim porque se isto está como está não é culpa dos trabalhadores mas sim dos chulos que continuam a sê-lo e a usufruir de benesses.
Beijinhos

Maria Ribeiro disse...

Carlos: corroboro e subscrevo, já que, sendo aposentada, também, fiz o mesmo apelo ,quer no Blog quer no FACEBOOK, para a adesão à greve! Mas ,na realidade, o que importa, é que sejam destronados TODOS os peões da corrupção que puseram o país neste estado!
Nota: com os problemas do meu blog resolvidos, estou aq voltar aos meus amigos, devagar, pois são muitos! Saúdo-te ,com o meu abraço amigo, desejando que estejas bem, de saúde.
Beijinho da
Mª ELISA(lusibero)