sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Do Mwata (Ajuste por fazer)


(Abri a porta. Lá estava ele, o Mwata. Cumprimentou-me naquele jeito muito seu, todo kaluanda: Então, tudo bem? Estamos juntos? Juntos estamos, disse-lhe eu, mas tudo bem...Deixa, interrompeu ele, só vim para desejar um BOM NATAL a todas as amigas e amigos da tua cubata. Foi-se deixando isto:)

Lembra-se.
Recorda-se de deitadas distantes, tão assim, que longínquas eram.
Por cama o chão de terra molhada pela chuva deixada por trovoada zangada, dela exalando um odor único, que o embriagava. Por cima, esmaecidas as forças cegas e loucas dos relâmpagos, a noite mostrava-se com uma calma que parecia eterna, desenhada por estrelas, tantas, que não se deixavam contar. Mal umas alinhava, logo outros surgiam, num preencher contínuo dos seus olhos incapazes de saberem se de estrelas se tratava ou doutro relampejar – o das armas – dando volta à escuridão, tornando-a inquieta e predadora.
A noite vinha, vinha sempre, quer houvesse tormenta ou não, ou, sequer, vontade de que ela chegasse. Por vezes num silêncio que se fazia ouvir com o eco de gritos, trazendo, também, o cheiro a corpos queimados.
Ao seu peito encostada pernoitava a arma, tal como lhe disseram ela chamar-se – metralhadora.
Hoje, ao acordar, soergue-se apoiado nos cotovelos roçados de tanto rastejar. Olha em redor e parece-lhe diferente o que avista. Esta, que agora se estende à sua frente, é uma terra estranha, onde as árvores crescem ao contrário, de raízes viradas ao céu.
Não, diz olhando para a arma, não vou metralhar!
Coloca-a a tiracolo e volta para trás.
Parte à procura de uma outra terra por onde, lhe disseram, talvez ande Deus.
É que ele tem umas contas para ajustar.

4 comentários:

acácia rubra disse...

Quando, nessa terra, encontrares esse Deus, vê se o consegues entreter até eu chegar.

Também tenho umas contas a ajustar, quanto mais não seja porque aqui as outras "árvores crescem ao contrário, de raízes viradas ao céu"... o que me custa a aceitar.

Beijo

BlueShell disse...

Gostei de vir aqui.
Obrigada pela visita e votos de um feliz Natal..

Blueshell

Gisa disse...

Terra intrigante essa. Vale a pena a procura!
Um Feliz Natal e um lindo Ano!
Muitos bjs e obrigada por tua companhia!

Rogério Pereira disse...

Pelo texto se prova, suspeita que já tinha: a deserção não é um acto de cobardia é o ter outras contas a ajustar...

Que todos os homens ponham suas contas em dia. Não é esta uma boa mensagem de Natal?