quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Terramoto no Haiti

Deuses cobardes

Passei já por três guerras. Andei por campos da morte. Vi a tragédia, a dor e o sofrimento a meu lado. Tudo o que de pior o homem é capaz. Por anos e anos assim foi. Julgava estar blindado.
Mas não!
Terramoto no Haiti.
As imagens que a TV me mostrou, e as notícias que as acompanharam são aterradoras.
Centenas de milhar de mortos, três milhões de pessoas afectadas. Sangue e destruição por toda a parte. Sei, sei que a solidariedade internacional está já a movimentar-se (em Portugal a AMI – sempre ela – está de partida para o campo necessitado de ajuda), mas a minha consternação é profunda. Apegou-se uma dor.
Que mão poderosa, grosseira e inumana se mexeu no fundo do mar do Haiti?
É a força da Mãe-Natureza a mostrar-nos o quão pequenos e frágeis somos, dir-me-ão. Sim, mas isso não anula a minha dor e revolta. Que mãe-deus é esta que mata e destrói para que lhe vejamos o poder!? Estou, do mesmo modo, furioso com os deuses que, cobardemente, continuam a abandonar o povo do Haiti. Povo sofredor, onde as crianças comem terra para enganar a fome!

25 comentários:

Rosa Carioca disse...

Não consigo olhar para as imagens. Podia acontecer comigo...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também fiquei destroçado com as imagens. Lá no CR escrevi que havia 100 mil ortos, mas cabo de ouvir na RTP 2 que o número pode atingir o meio milhão. Mais de 5% da população do Haiti. Como o meu amigo, intrrogo-me: que mal fez aquele povo para ser tão desgraçado ao longo dos tempos?

Luciana P. disse...

Realmente, Carlos, tragédias como essa nos colocam de frente com a dor. Somos capazes de perceber o sofriento, a falta de expectativa que quem viu a sua vida modificada de uma hora pra outra. Essas imagens causam impacto, aperto o coração, um gosto amargo na boca, enfim... Muito bom o seu blog. Abraços!

Pedro Albuquerque disse...

Faço minhas as palavras da Rosa Carioca. Já aprendi esta frase contigo! bjs avô

Graça Pereira disse...

Amigo
Nunca estamos blindados contra a dor e o sofrimento e a prova, são as tuas lágrimas e as de toda a gente que viu e vê aquelas imagens de tragédia... Gostei do teu post, solidário, sensível,capaz de mostrar ao mundo que o coração do homem ainda não se tornou numa pedra!
Bem-hajas!
Graça

ney disse...

Difícil mesmo de aceitar, ainda mais com um povo tão pobre e sofrido. Ao menos o mundo tem sido solidário nessas catástrofes, a ajuda chegando de todos os cantos. ney/

ampulhetas disse...

Carlos :
Passo para te agradecer a tua visita ao ampulhetas :)

Nestes dias em que o mundo está envolvido numa perfeita injustiça...pergunto-me se haverá alguém a quem culpar ..a dor o sofrimento ...a injustiça

Fica o apontamento da catástrofe no pa+is mais pobre do mundo ...altura em que os ricos se deveriam evidenciar !!!

um beijo
teresa

Beta disse...

É... Somos pequenos e acabamos com a natureza, aí ela responde...
E normalmente quem paga são os menores...

bj
Beta

Kimbanda disse...

É terrível reconhecer que quando parecia àquele povo nada mais haver para tirar, acontecer uma tragédia desta natureza e numa fracção de segundos perecer tanta gente.
E se pensar nos que se salvaram, a preocupação aumenta, pois que vai ser daquela gente pese embora a ajuda internacional que está a ir para o terreno.
Consternação e impotência, perante tal adversidade, muita tristeza.
Kandandu

Violeta disse...

forte o teu ponto de vista..acredita que fizeste-me er isto com outros olhos.. :S

enfim ..

não tenho palavras só magoa

José disse...

Olá Carlos,
É verdade Carlos é tristeza isto que aconteceu no Haiti,para quem passou já por tanta coisa, era para estar
seco, mas é como diz a Graça só mostra que o coração do homem não se tornou ainda numa pedra.
Um povo tâo religioso e vivendo tão miseravelmento.

um grande abraço,
José

Agulheta disse...

Amiga Carlos! Estou de acorodo consigo,já vi muito diante dos olhos e sempre penso que as lágrimas secam na hora,não meu amigo,elas aqui estão e rolam por semelhante destruição feita pela mãe natureza,que pequenos somos para estas situações.Mas enquanto um coração amigo e solidário se unirem,podemos minimizar por menos a dor de tanta gente, a perda e destruição,é aqui que vimos que somos capazes de nos unir.Obrigado pela partilha desta solidariedade humana e sempre presente.
Beijinho Lisa

Mário Margaride disse...

Olá, Carlos!

Depois de algum tempo ausente, aqui estou de novo neste cantinho maravilhoso! De onde sentia uma grande saudade...

Uma triste realidade, infelizmente! Vejamos o que a comunidade internacional fará, para ajudar este martirizado povo...

Abraço!

Mário

Austeriana disse...

Infelizmente, indignarmo-nos não chega. Queria encontrar maneira de ajudar já.
Abraço.

Maria João disse...

Carlos

A pergunta surge-me sempre, da mesma forma, com a mesma força e a mesma impotência. Porquê a eles? Povos que vivendo miseravelmente, morrem também da mesma forma, ceifados por essa miséria que é um pouco a vergonha de todos nós. Estarão os Deuses cegos ou loucos? Ou serão cobardes, como diz?
É esta impotência que me cala, que me trucida a alma e me deixa prostrada com o pensamento neles, nos que agora choram os seus mortos e se levantam do pó, numa incrível força de sobrevivência. Essa sim, lição para todos nós!

Um abraço

Maria Ribeiro disse...

DARLOS: refiro isso também num post ,no meu blog! Como é possível sofrer-se tanto e ser tão religioso como são os haitianos?
Que é feito de ti?
Tenho saudades de te ouvir!
BEIJO DE
Lusibero

Fernanda disse...

Amigo Carlos,

Acabei de comentar o mesmo assunto noutro Blog que aconselho, Sustentabilidade não é Palavra é Acção.

Lá como aqui, não posso deixar de dizer que a dor que sinto e indescritível, que a tragédia é inumana, tudo o que se vê é demasiado dantesco.

A mãe natureza queixa-se e dá sinais dos maus tratos que lhes temos infligido...pena é que sejam sempre os que menos merecem que os pagam.
Os "Deuses" os pretensos "Donos do Mundo",são os verdadeiros responsáveis e sobre eles cairá a maior das tormentas, pelo menos assim espero.

Em nome destes pobres infelizes, no meio daquela tragédia, é preciso unidade, ajuda. O Blogue que eu referi tem a AMI para canalizar ajudas.
É urgente que cheguem mais médicos, medicamentos, água potável, pão e abrigo para estes desamparados à míngua e salvar quem ainda corre todos os riscos de morte.

Pelos mortos, resta-nos chorar e pedir por eles. Acendam velas e chorem...eles merecem.

Um abraço

Fernanda disse...

Amigo Carlos,

Gostaria que me autorizasse a publicar o texto no Sempre Jovens, isto se até agora ainda ninguém o fez.
Dar-lhe-ei todos os créditos, como sempre o faço quando uso um texto que não é meu.

Sinto tanta "raiva" que não serei capaz de escrever um texto meu. O seu está perfeito e não posso estar mais de acordo com o que diz e sente.

Abraço fraterno

Carlos Albuquerque disse...

Desculpem, amigos, só uma resposta à Fernanda:
Publique o texto à vontade. Não se preocupe com os créditos, não os os quero. Basta-me que espalhe o meu grito/revolta, que também ser o seu.
Abraço fraterno

Elaine Barnes disse...

Esses acontecimentos mexem com todo mundo. A impotência diante da furia da natureza. Somos brinquedos na ira dela.Muita tristeza mesmo, tantos inocentes,tanta pobreza...Só chorando mesmo pelos mortos e machucados,eles agora são a voz da natureza que há muito dá sinais de seu pranto. bjs amigo

Meus Reflexos Contos e Afins disse...

Ola!
Vim conhecer seu espaço...
Que boas palavras.
àssa la no meu canto,
vou adorar!
Bjins

Reflexo d Alma disse...

Estou aqui conhecendo hj...
aos poucos conheço tua escrita
e volto pra comentar...
Passa la no meu blog...
bjins entre sonhos e delírios

TERESA SANTOS disse...

Querido Mwata,

Sabes aquela sensação que se tem quando ficamos secos, sem palavras?! Sabes? É isso que sinto. E é revolta, e é tristeza, e é indignação contra uma Natureza que se compraz em castigar aqueles que já estão cansados de sofrer.
E nem assim, o homem se apercebe da sua pequenez!...
Abraço, Amigo.

Fernanda disse...

Querido amigo Carlos,

Venho agradecer-lhe a amabilidade e dizer-lhe que o admiro imenso, como ser humano e como escritor.
Adoro a forma como expõem os temas e exalta os seus mais nobres sentimentos.
Eu publiquei o seu texto com a maior honra e sou co-administradora daquele Blogue. Volte sempre, por favor!

Beijinho da sua amiga



PS. Voltarei para ler o outro post.

Luis disse...

Meu Bom Amigo,
Li este post no "Sempre Jóvens" e como o compreendi. E mais ainda depois saber o que aconteceu à Drª Zilda Arns.
Vou de seguida ver o seu novo post sobre o mesmo tema-
Um forte e amigo abraço,
Luís