sábado, 5 de março de 2011

Dia da Mulher

Por não querer juntá-lo ao dia de Carnaval, assinalo-o hoje republicando o meu texto (reescrito) de 2010.

A ti, que não precisas de ti para existires, e és, muitas vezes, flor sem haste.
A ti, que todas as manhãs saúdas o Sol sem nunca lhe dizer adeus.
A ti, que de impulso em impulso, de ousadia em ousadia, venceste sonhos e pesadelos, viveste amores alucinados, desvarios, paixões desfeitas, sentires sossegados e dores de mágoa, ultrapassaste fúrias, não te perdeste em abismos, e te fizeste árvore frondosa, guardiã de jardins de cores e sons.
A ti, guerreira teimosa, amazona de rédea solta, cavaleira do sol e da lua, da chuva e dos ventos, reverdescendo os trilhos por onde passas neles libertando o aroma da vida.
A ti, virgem, mulher, amante, menina velha, prostituta.
A ti, que rezas e maldizes.
A ti, que dás vida, trazes a aurora em voo livre. A ti, seiva.
A ti, que de sorriso florido, ou de beleza escondida em olhos tristes, qualquer que seja a cor da tua pele, o traço do teu rosto, e desenhem o que desenharem as linhas da tua mão, é vermelho o sangue que te banha as veias e te alaga o coração.
A ti, Mulher Menina da minha terra longínqua, que de filho às costas, moringa na mão e quinda à cabeça calcorreias descalça as passadeiras da ilusão procurando paz e pão.
A ti, virgula, pausa retemperadora, têmpera do aço em que a vida escreve o seu livro, fêmea prenhe, mãe do Universo, ponteiro das horas do Mundo.
A ti, que iluminas becos escuros, rasgas avenidas e alamedas, e percorres caminhos levando a vida pela mão.
A ti, que choras, sofres, morres e ressuscitas.
A ti, que danças em salão, no coreto, na rua, ou apenas no teu sonho.
A ti, sedução, amor, traição, ciúme, revolta, tempestade, saudade gritada, bonança.
A ti, flor e espinho, sabor dum instante, momento de fulgor, carícia dum presente, choro dum desencanto, esperança dum futuro.
A ti, companheira, mãe e avó, colo e seio de aconchego, ombro de repouso, porto de abrigo, sal de destemperos, ninho de amor. Presença sempre.
A ti, Mulher, ofereço a flor que ali está.

17 comentários:

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

...em coro:

Fez bem em reescrever
Seriamos penalizados
se não o pudessemos ler

(julgamos que o Rogério irá seguir o seu exemplo...)

acácia rubra disse...

Carlos

E as palavras foram sendo lidas ritmadamente, porque escritas que foram, latejantes de sentir e de poesia.

Não importa quando, importa saber que as escreveste e, como mulher, sinto-me orgulhosa de o ser e grata por, para além das tuas palavras, receber também uma flor.

Um texto ímpar e uma flor de grande simbologia.

Obrigada por ambos!

Beijo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lembro-me bem deste belo texto, Carlos.
Vou manter a tradição e assinalarei o DIM na terça-feira, escrevendo uma Carta à Mulher POrtuguesa.
Abraço

Neve disse...

Uau! Nós mulheres somos tudo isso aos olhos dos homens?
Fico muito feliz em saber!
Agradeço pela parte que me toca, enquanto mulher.
Escreva mais textos assim!

maria teresa disse...

Uma flor que alimenta os olhos e o coração, uma "poesia" que me sensibiliza e enche a alma...
Obrigada Amigo!
Abracinho terno

Catsone disse...

Viva as "XX"! Hoje e sempre :D

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Não o tinha lido o texto anteriormente. Gostei do que li. Excelente e se aquela flor murchou por obra da natureza, não lhe faltará outra.
Abraço

Gisa disse...

A melodia que embala o teu texto faz com que as palavras ultrapassem a tela e atinjam a quem lê bem no coração.
Obrigada pela flor, obrigada pela visita. Quanto ao mim, sigo-te
Um grande bj querido amigo

ZUIGALVÃO disse...

Sou mulher brasileira. Em nome das mulheres do Brasil, muito grata!

Marilu disse...

Querido amigo, sinto-me homenageada por esse lindo texto. Obrigada em nome de todas as mulheres do mundo. Beijocas

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

A tua sensibilidade, a juntar à arte de bem escrever não deixam de me fascinar.
Abraço grande, querido Mwata.

Filoxera disse...

E a si, homem com a sensibilidade que gera uma homenagem destas à Mulher, os meus parabéns por mais um post que dá gosto ler.
Um beijinho.

Helga disse...

Muito bonito e muito tocante. Obrigada por partilhar connosco estas palavras que homenageiam a mulher desta forma tão simples e tão vasta. Tão profunda.

Um grande beijinho :)

Malu disse...

Carlos, meu amigo, obrigada pelas palavras lindas direcionadas a nós mulheres.
Deixo-te um grande abraço.

A imagem também é perfeita e completa as belas palavras.

Maria João disse...

Carlos

Este texto é o mais belo poema que algum dia li, sobre o universo feminino, escrito por um homem.
Este poema é um abraço que levo comovida, e que a minha condição de mulher agradece profundamente.

Um beijinho meu amigo.
Obrigada!

rosa dourada/ondina azul disse...

Belo poema,
pode ser repetido sempre....
Continua real, verdade!

Obrigada!
Boa continuação,

Fê-blue bird disse...

Caro amigo:
Recebo com muito prazer a flor que nos dedicou em forma de um belo texto poético.
Destaco esta frase maravilhosa que vou guardar com carinho:

"A ti, que de sorriso florido, ou de beleza escondida em olhos tristes, qualquer que seja a cor da tua pele, o traço do teu rosto, e desenhem o que desenharem as linhas da tua mão, é vermelho o sangue que te banha as veias e te alaga o coração."

Obrigada!
Beijinho