sexta-feira, 11 de março de 2011

À Rasca

“Estou à rasca!”.
Gritará amanhã uma voz, na Praça Tahrir cá do burgo. Lá ao fundo, emergindo das águas gélidas do Tejo, uma outra responderá, cansada:
“À rasca estou!”.
A meio da avenida, um microfone captará o comentário: “É por isto tudo e muito mais que faz sentido esta manifestação pela demissão de toda a classe política, que julgo será no próximo Sábado.”
Num banco dos passeios alguém sentado parece indiferente. Mas, não o está. Vai olhando para quem passa e balbuciando: Será que estão a dormir? Será que haverá amanhã quem capaz seja, ou se atreva a escrever o que isto poderia ter sido?”.
Em Belém, o PR, que resolveu ter rasca na ossadura, apronta-se. Já lhe vestiram o avental emprestado, empunha o megafone alugado, e, ensaia frente ao espelho: “Avante jovens, foi por vós que me recandidatei, vamos a eles!”. Senta-se no sofá, olhos na TV, dando a mão à Dona Maria, que está, como sempre, a seu lado e não atrás, e, hoje, de folga dos netos.
Pergunta-lhe a senhora, baixinho: "Então...!?".
Responde-lhe ele, uma oitava acima: "Então o quê...!?".
Os deolindos interrompem a marcha, em compasso de espera…

//////////
A propósito do dia de hoje, em que se assinalam 36 anos de uma data importante na História da Democracia Portuguesa, proponho aos meus amigos e seguidores a leitura do que escreveu Carlos Barbosa de Oliveira no seu "Crónicas do Rochedo".

10 comentários:

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Gostei da sátira. No entanto parece-me que há sinais preocupantes no horizonte.
A democracia precisa de politicos. Se estes não servem e eu sou dos que pensa que há alguns que não, então que se mudem. Uma manifestação que tem numa das motivações, "correr com os politicos" é motivo de preocupação.
Abraço

menvp disse...

Não é só pagar as dívidas que os governos fazem/deixam...
A «democracia directa» não é solução... mas votar não é passar um 'cheque em branco'!!!!!!
Quem paga - vulgo CONTRIBUINTE - deve possuir o Direito à Transparência e o Direito ao Veto das despesas não consideradas prioritárias...

PELO DIREITO AO VETO DE QUEM PAGA (vulgo contribuinte) blog: Fim da Cidadania Infantil.

acácia rubra disse...

Eu, sim, ando à rasca...

Tu, se calhar, andas à rasca.

Ele anda, há muito, à rasca.

Nós andamos, quase todos, à rasca!

Vós andais também à rasca?

E ELES?

ELES NÃO ANDAM À RASCA!


Beijo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Depois do apoio de Cavaco que, convém não esquecer, já incitara as escolas privadas a sirem à rua para protestar, a diferença entre a manif de amanhã e a de 28 de Setembro de 74 é que será mais ruidosa. Cavaco quis dizer que espera tirar partido dela e do apio que manifestou aos jovens. Vivemos dias muito perigosos para a Democracia mas lá no CR, a minha companheira de blogue ( a Martinha) irá explicar lá mais para o fim da tarde as razões de ter aderido à manif.
Obrigado pela referência, caro Carlos. É bom que não se esqueça o 11 de Março, porque foi aí que começou o fim de Abril.
Já agora, se me permite, aconselho-lhe a leitura da crónica do VPV hoje no "Público". Os receios dele são idênticos aos meus mas há quem na esquerda não tenha percebido.
Bom fds

Rogério Pereira disse...

A Dª Esmeralda, disse à vizinha do 4º andar que o coiso está desesperado, coitado, porque andam para ai a dizer que ele disse o que não disse embora fosse aquele o seu dizer e que a coisa está quase a acontecer. A vizinha ficou, também, à rasca. Mais uma para a manifestação...

(vou espreitar o CBO)

Gisa disse...

O grande problema das democracias são os políticos aproveitadores e de ocasião, mas ainda assim é o melhor regime.
Cabe ao povo votar consciente e tentar melhorar o nível.
Assim, tanto faz em Portugal quanto no Brasil, os momentos se repetem, assim como as inseguranças e dúvidas. Em se tratando de maus políticos só muda o endereço.
Um grande bj querido amigo

Fê-blue bird disse...

“À rasca estou!”.
Caro amigo:
Um texto com um humor muito adequado à situação. Visualizei tudo, e amanhã vou confirmar ao vivo o cenário,só espero que os deolindos não desanimem e avancem!

Beijinhos e bom fim de semana

Agulheta disse...

Amigo Carlos! Tenho pensado muito neste termo (geração a rasca)alguns nem tem tanta rasca,vestem de marca,tem telémovel de marca,carro de marca e tantas coisas mais,porque o pai lhes dá.E no meio disto se infiltram muitos para tirar dividendos políticos.A rasca estão os reformados de baixas reformas quando não tiverem o dinheiro para comerem,e para os remédios.
beijinho bfs

Fábio Paulos disse...

amanha lá estarei eu na manif de Lisboa

FMF disse...

Boa pergunta... Estamos todos a olhar uns para os outros sem saber o que fazer.