domingo, 2 de outubro de 2011

Do Mwata

Regresso

Tem andado por caminhos desassossegados, num tempo fora da história. Trilhos sem bermas nem atrás, chão de ontem. Quer avançar por entre as árvores sem sexo, libertar-se do exílio intoxicante do ócio. Envia à frente o olhar percorrendo-lhes os troncos deixando-o, depois, a repousar na folhagem, uma seca, esmorecida, outra, como a dos cajueiros, ou das jacas mais altas, tremelicando, soltando gemidos quando lhes bate o sopro das noites perdidas na busca do tamanho de si próprias, e ensandecidas.
“É chegada a urgência de reparar, de combater a cegueira. É preciso combater as sombras”. Ouve ele. Que fique de lado a sagacidade do silêncio, acrescenta.
Tem como certo, que as palavras necessitam, a mais das vezes, de outras que as ajudem a explicar-se. Enquanto aguarda, libertam-se das lutas do pensamento, enxameando o mar por onde xinbica no dongo do seu interior, guerreiros sem terra, pelejando, pelejando…Combatentes perdidos, não sabe por onde, que decidem não guardar-se nem no silêncio, a um tempo temeroso e aventureiro, nem no vociferar sem voz, que quando lhe chega soa a vazio. Que guerreiros são estes, parecendo entregues ao esfregar do esquecimento, lançando-se para o abismo?
Está ali de pé, olhando o lago a que agora aporta. Mete-se por ele, em busca da memória. Encontra-a prostrada pela fadiga. Esforça-se, mas nada readquire. Dos bicanjos da lembrança tudo partiu. O que ele encontra é uma camereca mal disfarçada, chiprulenta de si, num chapiango atroz e intolerável que o quer deixar no vazio, submergido por uma enxurrada de sombras, levando-o, a chicote, pelos caminhos que a vida diz ter. Vida lassa. Essa, não é a sua. Até agora tem vindo a juntar, hora a hora, o que cada uma foi dizendo e fazendo, e nunca de uma única que fosse se separou.
Então, apodera-se dele um zamberenguenjê.
Decide voltar ao ponto de partida.
 

19 comentários:

São disse...

Bem vindo!

Espero sinceramente que o regresso seja definitivo!

Abraço-o, Carlos.

acácia rubra disse...

Se foi um zamberenguenjê que te fez voltar, ainda bem!

Estou contente por te ter aqui de novo.

Beijo carinhoso

Janita disse...

Bem-Vindo, Carlos!

É por isso que eu sempre digo:
A ESPERANÇA DEVE SER A ÚLTIMA COISA A MORRER".

E enquanto há vida...

Mal o vi vim a correr e li na diagonal quilo que nos diz.

Voltarei, mas agora só quero dar-lhe um abraço.

Fiquei muito contente. Acredite!

Beijinhos.

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Estranha esta sensação de alegria ao ver que "tinha voltado ao ponto de partida"
Claro que não faltam blogues com fartura para ler, coisa para que não se arranja tempo, independente da qualidade. Mas por trás de um blogue há gente. Gente que aprendemos a admirar e não há post que deixemos passar.
Obrigado pelo seu regresso. Fico feliz por o voltar a "ver".
Grande abraço

Fê-blue bird disse...

Meu querido amigo:
Nem imagina como fico feliz pelo seu regresso.
E logo brindou-nos com mais um excelente texto.
“É chegada a urgência de reparar, de combater a cegueira. É preciso combater as sombras”.

Combatamos então!

beijinhos

TERESA SANTOS disse...

Meu querido Mwata,

Eu sabia, tinha a certeza que regressarias.
Não, não és Homem de "vida lassa". E as palavras foram surgindo, e foram-se juntando, e articulando, e fazendo sentido, e...?
E eis o resultado: um belo texto com o teu cunho pessoalissimo.

É agora, é agora que vou fazer o levantamento deste riquissimo vocabulário.

Um grande obrigada pelo regresso, e...?

Fazias tanta falta na blogosfera, tanta!...

E um pedido de desculpa pela insistência.

Desculpas?!

Sei que sim.

Abraço grande meu Mwata.

Janita disse...

Carlos,
foi muito emocionante ler este seu desabafo ( vou chamá-lo assim)embora não entenda o significado total de algumas palavras criolas.

Não importa, a certeza que tenho é que não resistiu ao chamado desse
zamberenguenjê, e está de volta.

Faça por ser feliz, Carlos!
Creia que todos nós, habitantes deste fabuloso mundo de amizades virtuais, nos sentiremos mais ricos com a sua presença.

Beijinhos
Janita

Maria João disse...

Carlos

Eu sabia. Algo me dizia para aguardar serena que a mudança ciclica das estações lhe devolvesse a vontade e, de novo, as palavras lhe aflorassem aos dedos como tesouros amadurecidos dentro do silêncio de uma alma imensa.
Eu sabia!
Que feliz me sinto por o ler de novo!
Obrigada, meu amigo!
Um abraço forte

Carlos Albuquerque disse...

A todos o meu muito obrigado.
Que fiz eu para tanto merecer!?
Especialmente para a Teresa Santos, que apenas conheço de um longo e muito honroso e agradável convívio virtual (os demais que me perdoem), aqui deixo:
Bicanjos = arredores, subúrbios, aldeias;
Camereca = mal-estar, doença, façam favor de me largar da mão;
Chiprulento = ciumento; que é isso de me andar a roer o osso?;
Capiango = gamar, fanar, rapinar;
Zamberenguenjê = Estar com os azeites, estar com a telha; zangado
PS - Não são termos crioulos, mas, tão só, palavras kimbundo e Ovimbundo, línguas de Angola, a querida terra onde me deixaram para nascer.
Obrigado pela vossa paciência.

TERESA SANTOS disse...

Obrigada, meu Mwata,

O que fizeste para tanto merecer? Sabes perfeitamente que pertences ao grupo dos que fazem a diferença.

A vida é (está) tão cinzenta, mas tão cinzenta.
Como é que podemos prescindir da pincelada de cor da tua escrita?

E o meu levantamento que começa. E que rico será!

O meu post de hoje é sobre o teu regresso e de mais duas amigas.

Deixei uma máscara africana como forma de te presentear no teu regresso. Que significado terá?

Abraço grande, meu Mwata.

Bloguótico disse...

Percebe-se perfeitamente a satisfação da Teresa Santos, a partir de quem aqui vim ter, pelo teu regresso! As tuas palavras sucedem-se umas à outras com uma facilidade e leveza tremenda! Parabéns! :)

Eduardina disse...

Seja bem-vindo!

Utena disse...

Olá,

Vim pelo blogue da Teresa e vou ficar.
Gostei bastante da forma como escreve

Até breve

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

Após várias peripécias tive que alterar o link do cronicas.

Aqui fica:

http://teresaeascronicas.blogspot.com/

Beijinho e bom fim de semana.

Fê-blue bird disse...

Passei voando por aqui para lhe desejar um bom fim de semana :)

beijinhos

Rosa Carioca disse...

Que bom! Voltou! Sinceramente, senti muito a sua falta.
Feliz retorno.

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

Continuação de boa semana.
E estes virus não nos dão descanso...

Abraço grande.

Rogério Pereira disse...

Olá,
Bem-regressado!

Dizia eu aí em baixo, quando o meu amigo escrevia FIM:

"Quando faltarem as palavras, restará o silêncio... Ou o grito?
Sei que um dia voltará, mesmo que não queira, mas porque tem que ser...
Até breve"

Não foi tão breve quanto o desejado, mas ei-lo regressado.

Obrigado.

Dulce disse...

Que bom que voltou, Carlos! Seja muito bem vindo.

E que seu final de semana seja iluminado
Beijos