segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Presente!

O porquê do silêncio.

Os seguidores e leitores do Conversas Daqui e Dali ter-se-ão, eventualmente, interrogado sobre o silêncio a que me remeti desde o dia 25 do mês passado, data do meu último post, bem como sobre a ausência nas caixas de comentários de cada um. Alguns já me enviaram mails a quererem saber. Porque como amigos virtuais vos tenho, devo-vos uma explicação.
Não desertei da blogosfera. Se, porventura, tivesse pensado em desistir do blogue, tal vos teria já comunicado. Sucedeu, apenas, que um contratempo, um transtorno de saúde, já ultrapassado, me bateu à porta. Não tendo sido nada de por aí além, a verdade é que os meus neurónios se meteram por um lapso do tempo, correndo a aconchegar-se no repouso. E por ali ficaram como bonecos articulados a que de repente se tira a pilha – paralisados! Nem um ténue feixe de energia lhes encontrei para vos ir visitar e dizer um olá que fosse.
Passado que está o percalço aqui estou. Presente!
São muitas as visitas por fazer, mas a partir de hoje voltarei aos vossos blogues, reiniciando, igualmente, a edição de posts.
Sei, pelo contador de visitas, que muitos por aqui têm passado. A todos muito obrigado.
Um abraço.

12 comentários:

Agulheta disse...

Amigo Carlos!O principal na vida é a saúde,porque todas as outras coisas tentamos ultrapassar,lamento que a saúde lhe passase uma rasteira e que não volte.Quanto aos amigos sempre venho por aqui e saberei esperar,e os de verdade o farão de igual modo.pela minha parte as melhores,volte quando poder,primeiro a vida.Beijinho e melhoras.
Lisa

quicas (joaquim do carmo) disse...

Ainda bem que está ultrapassado o percalço, amigo! É sempre agradável passar por este cantinho e ler o que nos propõe.
Abraço

Maria disse...

Um dia destes vou paralisar os meus. Voluntariamente. Por uns tempos...

Bem regressado!
:)

Rogério Pereira disse...

Ufffa, que alívio...
Fechar a loja em tempos de crise de bom-senso e bom-gosto
bem como das palavras necessárias seria perda irreparável.
Ei-lo de volta.
É o que importa...

Boa saúde!

Malu disse...

Que bom saber que está tudo bem, Carlos.
Um abraço

acácia rubra disse...

Já me tinha interrogado sobre a tua ausência.

Fico feliz por saber que está agora tudo normal.

Beijo

Michelle Crístal disse...

Acredite ou não que eses ventos fortes passaram por aqui! Sinto sua ausencia da saudade sua, do tempo que não nos arremetemos ao longo do inverno impiedoso,sem latitudes!

Maria João disse...

Carlos

Meu querido amigo...

Questionar, questiono-me sempre. Alternando entre a preocupação pela sua saúde e a compreensão pelos silêncios e pausas que cada um de nós, ás vezes, precisa de fazer.
Passado que está o que o afastou de nós, que esteja bem é o que mais me deixa feliz! Lê-lo, no que tem de novo para nos contar, é uma consequência prazerosa de tudo o resto.

Um beijinho muito grande

Marilu disse...

Querido amigo, fico feliz que esteja bem, e esteja voltando ao seu blog, pois sentimos falta de suas postagens. Tenha uma linda semana. beijocas

maria teresa disse...

Querido Carlos o importante é que se sinta melhor e com coragem para voltar "às lides", se isso lhe dá prazer.
Pessoalmente fiz um interregno nas visitas, não porque estivesse doente mas porque tive que acudir a "fogos familiares" que me absorveram.
Sabe que gosto de si, gosto do que escreve, do que revela quando o faz com o coração.
Abracinho

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata, bem-(re)vindo,

Claro que tinha estranhado a ausência. Vinha espreitar, espreitar, mas de Mwata nem vestígio.
Que coisa aborrecida essa que te aconteceu aos neurónios. Que preguiceira?!
Mas pronto, já passou.
Abraço grande, meu Mwata.

Anna^ disse...

Por vezes é preciso o repouso;e agora ei-lo aí de baterias carregadas :)