sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Por obras nos faremos



...Passa, ave, passa e ensina-me a passar...
(Fernando Pessoa)

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Há muitas maneiras de estar
Acho que o verei
num rosto calmo, que se agite
sem se desfigurar

Hei-de o ver, hei-de o encontrar

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Vê-lo por aqui é uma boa sensação e o motivo que nos trás, mostra que está atento (já ontem vi um comentário seu, o que muito me agradou). Tambem reparei que houve um post seu que me escapou.
Um abraço
Rodrigo

acácia rubra disse...

Carlos

Há aves e aves. Espero que aquelas agoirentas que nos governam e que dirigem os destinos da Europa e do Mundo sejam as que, amanhã, sintam que estão passadas, que batam asas e desapareçam, que tenham vergonha.

Estamos rodeados por todos os lados de abutres. Somos ilhas mas, se quisermos, seremos continentes.

Voar nós sabemos, cortam-nos é as asas. E, enquanto eu puder, não deixarei que mo façam, sem antes dar umas valentes bicadas...

Beijinho

acácia rubra disse...

Carlos

Amanhã, passa pelo meu blogue, por favor.

Beijo

Fê-blue bird disse...

Meu amigo.
Por enquanto ainda somos livres livres de passar!
Não estive fisicamente também mas estarei sempre de alma e coração.

beijinhos

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

Óptimo! Felizmente já voltaste, o que é um bom sinal.

As obras feitas não vão(?) deixar orgulhosos os responsáveis!

Responsáveis? Onde estão?

Será que conseguimos passar este cabo das tormentas?!

Abraço muito grande, meu Mwata.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro Carlos
De regresso ao convívio da blogosfera, passei por aqui para ler os seus sempre admiráveis escritos. Fui descendo e, mesmo ao chegar ao fim da página, encontrei a maravilhosa oferta com que teve a amabilidade de me presentear.
Fiquei sem palavras até porque, como sabe, estive ausente e aquele magnífico trabalho a que modestamente chama "selinho" deixou-me muito sensibilizado.
Gostaria de ter engenho e arte para retribuir, mas apenas sou dotado para a arte da amizade o que nos dias que correm, convenhamos,nem sempre é fácil.
Um fortíssimo abraço e o meu muito obrigado. Bem haja.