segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A seca e a fé


Há seca em Portugal.
Os meteorologistas não hesitam. Reportagens televisivas mostram-na. Nalgumas regiões do país corre-se o risco de escassez de água, ou mesmo falta, para consumo humano. Os pastos estão secos e os bebedouros para o gado vão desaparecendo. Os agricultores e pastores apreensivos.
Declarar estado de seca? Pedir ajuda aos fundos específicos da União Europeia? Sim, ou não?
Assunção Cristas, a ministra do MAMAO (Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento), foi à Comissão Parlamentar de Agricultura dizer aos deputados que que não pode pedir ajuda apenas com base em percepções de que há seca.” E acrescentou:

“Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos. Como é evidente, quanto mais depressa vier, mais minimiza, quanto mais tarde, menos minimiza. Se não vier de todo, não perderei a minha fé, mas teremos obviamente de actuar em conformidade».

Raciocínio profundo e complexo, este!
Percepções diz a ministra do MAMAO. Onde é que os nossos meteorologistas tiraram os cursos!?
Depois da história das gravatas, a ministra do MAMAO vai, por certo, actuar, impondo novas regras no seu ministério, como a da dança da chuva. Começará pelo canto. Os seus funcionários aprenderão a imitar o vento, os trovões, a tempestade e o barulho da chuva. Há quem diga (não consegui confirmar) que a ministra Cristas trouxe um par de chocalhos duma das visitas que fez ao interior, mais um de chavelhos, para com eles, agitando-os, chamar os espíritos da chuva que, pelos vistos, resolveram emigrar.
Se os funcionários se aplicarem e a fé da ministra não resolver ir de abalada não tarda será o dilúvio! Isto porque também se diz por aí que com a ajuda do ministro da vespa, passar-se-á a rezar pela chuva.
Que gente é esta que nos governa?
Que seca!
 

13 comentários:

folha seca disse...

Haja fé, haja fé!
Abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Inspirado neste seu post e como também quero colaborar neste esforço nacional de acabar com a "seca" que estamos a gramar, inspirei-me e saíu uma oração (encontrada no google).
Fiz link para aqui.
Desculpe lá o abuso.
Abraço
Rodrigo

acácia rubra disse...

Carlos

Cheguei agora a casa vinda da escola e deparo com um texto destes!!!

Amanhã vou escrever à Cristas. É que este ano, para além de um 10º e de um 12ª anos de Português, deram-me 2 turmas de 7º e 3 do 8º. Nestas últimas leciono Oficina de Teatro.

Achas que se, a partir de amanhã, conseguir pôr os meus 62 alunos de Teatro e mais os 35 de Português ( num total de 97) a fazer a dança da chuva, a seca acabará e o rio Dão irá transbordar?

Eu estou como ela e não sou 'Cristas', mas tenho fé. Que queres? É só mais uma questão de seca, apenas...

Julgo que o melhor será começarmos a organizar-nos nos bairros/ freguesias e , secos, alquebrados, iniciarmos a rega de agulheta que esta gente precisa.

O País está uma seca, mas o Governo, apesar de meter tanta água, ainda não teve " percepções de que há seca."

Haja Paciência e o teu bom humor que, entre espirro e gargalhada, me
tirou o cansaço que trazia.

Beijo

Gisa disse...

Um problema sério, deve ser tratado com seriedade. Medidas transitórias não valem. Projetos exequíveis devem ser buscados para ao menos minorar o problema.Para isso necessário se fazem políticas públicas conscientes.
Um grande bj

São disse...

Uma vergonha!

Mas porque não dança o Governo inteiro a dança da chuva e não vai de rastos até Fátima?! Se agora tudo se resume a questão de fé, sejam coerentes!!

Um abraço, meu amigo.

Marilu disse...

Querido amigo, enquanto ai existe seca, nós aqui no Brasil temos chuva em demasia,em diversos Estados há cidades totalmente embaixo da água. Mas com certeza logo choverá em Portugal. Tenha uma semana abençoada. Beijocas

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ainda não perdi a esperança de ver a Cristas dançar a dança da chuva. Vestida a preceito, claro...
Abraço

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
No outro dia foi o presidente da JSD a dizer que tinha fé na resolução do desemprego dos jovens agora é a ministra a dizer-nos isto.
Bem para eles de certeza a fé é continuarem a estarem do lado certo da crise e para nós a fé era vermo-nos livres deles.

beijinhos

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

Pensas que há "baile" que nos salve?

Com crista, sem crista, com dança ou sem ela, querido Mwata, resta-nos rezar.

Sabes? Deixei de os ouvir. Recuso-me terminantemente.
Entre morrer burra, ou ensandecida,
resolvi optar pela primeira hipótese.

Abraço muito grande, meu Mwata.

acácia rubra disse...

Como estás?

Desculpa, mas os silêncios angustiam-me.

Beijo

acácia rubra disse...

Carlos

Dá uma vista de olhos nisto - SanzalAngola.

Parece ser um lugar interessante para nós.

Beijo

Fê-blue bird disse...

Meu amigo, li num comentário seu à Laura que não conseguia entrar no meu blogue.
Fiquei muito triste e retirei algumas aplicações que lá tinha que acho que o "pesavam" , espero ter de novo o prazer da sua visita.

beijinhos

Brown Eyes disse...

A seca que mais me preocupa é a de raciocínio. Este país há muito que está seco. O ministro das finanças resolve o problema, da falta de chuva. É só dar-lhe tempo que ele ainda descobre que os culpados somos nós e lá vai imposto.