sábado, 12 de setembro de 2009

Saudade!


Luanda, a cidade esbelta, qual nereida, que me viu nascer. Na sua ilha em cujo mar habita a Sereia (Kyanda), quantas madrugadas vi crescer, sem cansaços, apenas deitado sobre a areia fina, olhando as estrelas a despedirem-se, ouvindo o murmurar da água, provavelmente a Kyanda a mergulhar para outro dia. E depois, já com o Sol a raiar, escutar o chamamento, em linguajar próprio, do velho pescador a puxar a rede: “Vem, me ajuda. Te dou um peixe!”. O pescador era negro, mas falava assim, mestiçando a língua.
Em Luanda o português cedo se acasalou com a língua local, o quimbundo. Nasceu um linguajar, sobretudo oral, não apenas na expressão popular, que julgo único no espaço lusófono.


Por cá dizemos “Ele é mais velho do que tu”. Por lá: “Ele é teu mais velho”.
Nós: “Bateram no Francisco”. Eles: “O Francisco lhe bateram”.
Nós:”Eles comeram o peixe”. Eles:”O peixe, comeram-lhe”.
Nós:”Eu nasci em Luanda”. Eles:”Me nasceram em Luanda”.
Se perguntarmos a um luandense de linguajar quimbundista se já almoçou ele responderá “Ainda!”. Não usará o “não”, como nós que responderíamos “Ainda não!”.
Pediremos a um amigo: “Dá-me um cigarro”. Dirá o luandense:”Cigarro, dá só!”
Alongar-me-ia se continuasse este linguajar mestiço que me seduz e encanta. Apenas passei por ele porque hoje me deu a saudade da cidade esbelta onde me nasceram!

23 comentários:

Dulce disse...

Carlos

Que texto mais lindo! Tanta ternura por um lugar, por um povo, traduzida em saudade doce que aquece seu coração...
Afinal, sempre é doce para nossa alma, o lugar aonde nascemos
Beijo d'aquem mar (se me permite usar a sua frase)

MauFeitio disse...

Olá Carlos!
Esqueceu-se do clássico das manhãs:
-"Bom dia"
-"Obrigada sim"

Pitanga Doce disse...

Carlos, quando a saudade bate não há nada a fazer. Eu sei disso.

boa tarde!

rosa dourada/ondina azul disse...

Do Alentejo de "Abril em diante",
viajei até à bela Luanda!!!

Belo texto!!!


Bom fim-de-semana,

Filoxera disse...

Quem me dera conhecer Angola. Não só Luanda; sobretudo a "Angola profunda".
Não perco a esperança de um dia percorrer paisagens de chanas, lubangos onde um embondeiro se impõe no horizonte laranja dum final de tarde com cheiro a terra...
(sonhar não custa)
:-)
Um beijo.

Sofá Amarelo disse...

Engraçado eu conhecer algumas dessas expressões... é que tive durante muitos e bons anos um colega que viveu a maior parte da vida em Luanda - onde, aliás, foi preso político por ser extremista dentro do MPLA - depois de ter sido preso político em Portugal antes do 25A.

Forte abraço!!! Bom Domingo!!!

MIUÍKA disse...

Olá amigo,muito obrigada por seguir o meu blog,consegui chegar ao seu,pela pesquiza que fiz no Google,pois através do seu comentário não foi possível,talvez por erro do endereço,pode conferir e ver o que se passa.
Vou seguir também o seu blog,como faço sempre com quem me segue e será um prazer para mim acompanhá-lo nos seus escritos,espero por si sempre que fôr possível.
Um abraço...MIUÍKA

♥ ♥ Eu disse...

Lindo texto, delicadeza e respeito pelo lugar q amas.

bjo grande prá vc!

MIUÍKA disse...

Obrigada amigo,pelo comentário,que bom que conhece mais que eu,além de Portugal,só fui a Inglaterra,pois tenho um filho lá a viver e tenho uma neta lá nascida.
Um abraço e não se preocupe por ter ido á sua procura.
MIUÍKA

Maria João disse...

Carlos

Eu nunca estive em Africa.
Tenho, no entanto, vivido bem de perto com vários relatos de vida de muitas pessoas, algumas de família, que lá viveram. Em todos eles sente-se o poder de atracção que esse continente exerce em quem por lá passa, para não falar em quem lá viveu ou lá nasceu.
Considero um fascínio, um mistério que não se explica e só é possível conhecer na esfera dos sentidos...
A curiosidade domina-me, confesso!
Um dia ainda lá vou, porque algo na minha missão de vida, tem de ser lá cumprido...

Um abraço e... já nem sei como dizer, mas... obrigado pelas palavras sempre carinhosas com que comenta o que escrevo.

tulipa disse...

Carlos

Temos ÁFRICA no coração.
Eu - Moçambique
Carlos - Angola
e viemos cá parar...

Tanta ternura por um lugar, palavras que me arrancou cá de dentro, pois sinto o mesmo, as saudades são muitas, acredite.

Convido-o a visitar os meus 2 blogues, para se deliciar a ler os meus convites, feitos com o mesmo propósito mas de forma diferente.

Beijinhos.

José disse...

Olá Carlos,
Dá para ver nas suas palavras que gosta muito de Angola, também foi lá que nasceu, e a gente tem sempre uma certa ternura por o lugar onde nascemos.
A África também me marcou a mim perfundamento e só passei por lá dois
anos foi o tempo que fui obrigado a lá estar.
Mas voltei e hoje tenho muitas histórias para contar

Grande abraço, José

Dulce disse...

Carlos

Vim agradecer a indicação do vídeo com o poema da Florbela. Obrigada, muito lindo.
Você conhece a gravação do Fagner do poema Fanatismo? Eu gosto muito.

<< http://www.youtube.com/watch?v=kZzsxxm_-o4&NR=1 >>

Beijos

Marcinha disse...

Oi querido

Vim passar por aqui, para desejar uma ótima semana e agradecer por ter indicado o blogterapia !!!
Só não esquece que tem selinho prá voçê lá ...vou ficar triste se voçê não posta eles aqui..buabuabua...
beijos

Carlos Albuquerque disse...

Dulce,
Obrigado pelo carinho do seu comentário. A frase deixou de ser minha, também é sua. Use!
Um beijo deste lado do mar.

Mau Feitio,
Esqueci sim. Desse e de muitos mais como o "estamos juntos" à despedida. Voltarei ao assunto.

Pitanga Doce,
Pois não! Lá vamos passando a vida com a saudade a bater.

Carlos Albuquerque disse...

rosa dourada/ondina azul,
Que bom ter gostado da viagem!

Filoxera,
O sonho comanda a vida. Um dia há-de lá ir. Sobre a "Angola Profunda" vou preparar um post.
Um beijo

Sofá Amarelo,
Não sei porquê, suspeito que sei a quem se refere...
Um forte abraço!!!

Carlos Albuquerque disse...

Eu,
Obrigado pelo comentário amoroso.
Beijo grande

Viajar foi sempre um sonho meu. Fiz algumas, talvez muitas, sei lá...
Agora parei, ando a ver se arranjo uma perna nova que uma delas está a "bichar"
Um abraço

Maria João,
Quem pressente assim vai um dia lá chegar. Que outras palavras poderia eu utilizar para comentar o que de tão bom escreve?
Um beijo

Carlos Albuquerque disse...

Tulipa,
É isso, África não nos sai do coração. Estive nos seus dois blogs, vá ver.
Beijinhos

José,
Não é só gostar de Angola, ela corre-me nas veias.
Meu caro José conte as histórias que tem para contar.
Grande abraço!

Dulce,
Que bom ter gostado do vídeo que indiquei.Não conhecia o do Fagner. Fui ver e ouvir. Muito bom!
Beijos

Agulheta disse...

Carlos. Quanta saudade no texto e de rara beleza,o coração da gente por vezes assim é bate bate... e doi por vezes.
Agradeço as palavras no blog e visita.Beijinho fique bem com amizade Lisa

Antonio saramago disse...

De LUANDA só conheci o Aeroporto de passagem para Moçambique, não deve ser muito diferente de Maputo e apesar do grande sofrimento, tenho saudades do cheiro da terra vermelha!!!
Obrigado Carlos pela sua assiduidade ao meu blogue e desculpe a minha falta de educação em não retribuir da forma mais correcta..

Carlos Albuquerque disse...

Agulheta (Lisa),
Doi, sim! Mas, sabe, essa dor, por vezes, dá-nos alento para amarmos o que temos e o sítio onde estamos!
Beijinho com amizade

António Saramago,
É, António, o cheiro da terra vermelha especialmente quando a chuva a molhava!
É com grande satisfação que o vejo aqui. Volte quando quiser, a porta está aberta, será sempre bem-vindo!!!
Um abraço

Efigênia Coutinho disse...

Ha!!! SAUDADE, tenho agarrada na alma,pele, epiderme, é uma corredeira nas minha sveias...

Adorei este seu espaço cultural, fica o convite para visitar meus Blog, e se gostar seguir,
Efigênia Coutinho

carla disse...

saudades...dessa terra que também a mim me viu nascer