segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Recordar Saramago

“Talvez a história do homem seja um enorme movimento que nos leve à humanização. Talvez não sejamos mais que uma hipótese de humanidade e talvez se possa chegar a um dia, e esta é a utopia máxima, em que o ser humano respeite o ser humano. Para chegar a isso se escreveu o Ensaio sobre a Cegueira, para perguntar a mim mesmo e aos leitores se podemos continuar a viver como estamos vivendo e se não há uma forma mais humana de viver que não seja a da crueldade, da tortura e da humilhação, que são o pão desgraçado de cada dia.”
(José Saramago)

[“Escribí para saber si hay una forma más humana de vivir que no sea la crueldad”, La Voz de Lanzarote, Lanzarote, 25 de Junho de 1996].

9 comentários:

Elaine Barnes disse...

Realmente esse questionamento de Saramago fala a todos nós.A vida tem valido muito pouco.Sair na rua para trabalhar,estudar ou passear é um risco.Estamos a mercê de animais irracionais e ferozes.
Montão de bjs e abraços

Malu disse...

VIDA, esta parte que nos cabe, complexa e dura e que há tantos passa despercebida...

Saramago em suas obras questionava e continuará questionando os desconfortos, as negritudes, as desgraças e fatalidades que tantos não querem ver.

Abraços, amigo

Marilu disse...

Querido amigo, hoje a violencia e tão grande que corremos risco dentro e fora de casa. Que mundo é esse que iremos deixar para nossos filhos? Tenha uma linda semana...Beijocas

Fernanda disse...

Amigo Carlos!

Foi buscar um excelente depoimento de José Saramago, que resume de forma sublime o que a obra nos transmite.
Li e vi o filme.
Adorei.

Obrigada!

Beijinho

Na casa do Rau

Michelle Crístal disse...

Acho que é por isso que ele uma vez disse que o coração dele era de carne e sangrava todos os dias!

acácia rubra disse...

Mais uma vez Saramago, um inigualável pensador, de palavra certeira.

Beijo

Antonio Saramago disse...

Entre tropeções e desvios a atropelos, tentando fugir ás injustiças, mas não se podendo fugir a determinadas contig~encias da vida, aqui fica o abraço de um outro Saramago...

Agulheta disse...

Amigo Carlos.Esta amiga ausente mas por uma boa causa.Sabe que está presente sempre,gosto da forma como transmite sabedoria,amizade e de cabeça arejada para a vida e seus problemas.Agora penso que os dias mais calmos virei mais vezes.Beijinho e abraço amigo de amizade e solidariedade.
Lisa

Maria João disse...

Carlos

Talvez a história do homem, seja exactamente esta cegueira. Como um denso nevoeiro que ocultando o que não vemos, não questionamos enquanto houver remo e barca e àgua para navegar.
Talvez a interrogação não baste para mudar o rumo da história do homem. Talvez...
Mas sim, há uma forma mais humana de se viver e há quem a viva e a partilhe, como a maior e única certeza da existência.

Saramago... ele tinha um coração de carne e sangrava todo o dia. E nós, o que temos?

O meu abraço