segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Presidenciais (Interlúdio)

Dentro da jaula estava um homem de chicote na mão.

Deitadas no chão, a toda a largura da jaula, espreguiçavam-se leoas com ar enfastiado.

No cimo dum escadote, que mais parecia a montra de um lojista, estava um leão sentado.

O homem brandia o chicote, forçando as leoas a mexerem-se e a fazerem carrapitos delas próprias.

Depois virava-se para o leão, levantando o chicote. O felino erguia-se, rugia e voltava a sentar-se.

Um dia o leão não se levantou. Deu um salto e comeu o homem do chicote.

Fora da jaula, as pessoas aplaudiram.

A leoa mais velha, que tinha um fraquinho pelo homem do chicote, não gostou e comeu o leão.

As pessoas aplaudiram.

A filha da leoa mais velha, pegada de amores pelo homem do chicote, ficou desagrada e comeu a mãe.

As pessoas bateram palmas.

A prima da filha da leoa mais velha, que andava a ver se fisgava o homem do chicote, achou aquilo um horror e comeu a filha da leoa mais velha.

As pessoas aplaudiram.

A última das leoas, que se fazia passar por virgem, abriu a porta da jaula e comeu as pessoas que aplaudiam.

O dono do circo apagou as luzes, fechou a feira, e passou a noite com a última das leoas.

11 comentários:

rosa-branca disse...

Moral da história, comem-se uns aos outros, para quem vence, ficar no poleiro...ah!...e ainda nos comem a todos nós...para ficarem mais nutridos. É mesmo um circo...é uma palhaçada...gostei da sua história de verdades. Beijos com carinho

rosa-branca disse...

Moral da história, comem-se uns aos outros, para quem vence, ficar no poleiro...ah!...e ainda nos comem a todos nós...para ficarem mais nutridos. É mesmo um circo...é uma palhaçada...gostei da sua história de verdades. Beijos com carinho

Rogério Pereira disse...

Depois disto fica-se desde já a saber que haver ou não eleição presidencial apenas depende da decisão do dono do circo pois as leoas, que se saiba, não votam...
(excelente o seu "interlúdio")

Luís Coelho disse...

História de quem semeia ventos colhe
tempestades.
Eles neste circo lá sabem quem é que vão comer. As feras estão ansiosas pelo espectáculo e eu também....
Tomara que se comam antes de iniciar o circo pois a pouca vergonha já cheira muito mal.

ematejoca disse...

Escrevi aqui um comentário, o que não sei, é se ficou publicado, porque de repente fiquei sem rede.

Carlos Albuquerque disse...

ematejoca
Pelo que se pode ver o seu comentário não ficou publicado!
Quer ter a gentileza de o repetir?

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,
Esse é o nosso circo, o circo em que tudo isto se transformou.
Apenas nos resta ver qual é o último a ser comido, e por quem.
Abraço, meu Mwata.

Catsone disse...

Esse circo tem um certo sotaque luso...

ematejoca disse...

Vou repetir o meu comentário, numa versão mais curta:

"Se a vida castiga a estupidez, como é que Cavaco pode ser eleito?"

Aqui trata-se de um círculo vicioso — o povo português vai ser castigado durante 5 anos por votar no candidato Cavaco Silva; este por sua vez, ao candidatar-se, vai ser castigado por mais 5 anos por ter que governar esse mesmo povo.
Coisa muitíssimo desagradável para ambas as partes!!!

Esta história de puro terror completa a minha tese:
O dono do circo (Cavaco Silva) no próximo domingo apaga as luzes (metáfora da esperança perdida em se ter outro Presidente), fecha a feira (Portugal), e passa a noite (5 anos) com a última das leoas (o povo português, que também não é virgem)!!!

Saudação de um Düsseldorf muito triste ao saber desta história tão portuguesa.

Graça Pereira disse...

Gostei do Interlúdio! Pois é, o Circo está pegando fogo e julgo que nem restará a última leoa que tambem já está chamuscada e não tem serviço de saúde garantido!
No fim, talvez os palhaços riam e batam palmas...
Beijos
Graça

São disse...

rrss excelente metáfora

Boa votação.