segunda-feira, 13 de junho de 2011

123º Aniversário de Fernando Pessoa

PRECE
Senhor, a noite veio e a alma é vil.

Tanta foi a tormenta e a vontade!
Restam-nos hoje, no silêncio hostil,
O mar universal e a saudade.

Mas a chama, que a vida em nós criou,
Se ainda há vida ainda não é finda.
O frio morto em cinzas a ocultou:
A mão do vento pode erguê-la ainda.

Dá o sopro, a aragem - ou desgraça ou ânsia -,
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conquistemos a Distância -
Do mar ou outra, mas que seja nossa!
(Fernando Pessoa, in Mensagem)


7 comentários:

Catsone disse...

"O" poeta.
Abraço.

Fê-blue bird disse...

Excelente esta "Mensagem" do nosso maior poeta:

"Dá o sopro, a aragem - ou desgraça ou ânsia -,
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conquistemos a Distância -
Do mar ou outra, mas que seja nossa!"

Mas que seja nossa!!!

Beijinhos

acácia rubra disse...

Sempre que leio e estudo Pessoa, mais fascinada fico. A clareza das palavras, a actualidade das preocupações e, neste poema, a missiva final:

"E outra vez conquistemos a Distância -
Do mar ou outra, mas que seja nossa!"

Será que alguém ainda ouvirá a "nossa PRECE"?

Beijo

Rogério Pereira disse...

Esta data serve vários eventos e memórias: Fernando Pessoa, Álvaro Cunhal e o Sermão...

Gosto da sua escolha... e do poema.

folha seca disse...

Pessoa sempre actual. Não era suposto, digo eu!
Abraço Carlos
Rodrigo

SOL da Esteva disse...

Bela a "Prece" para a Comemoração do seu Aniversário na sua vida poética perpétua.

Parabéns

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Maria João disse...

É a mão do vento que nos ergue sempre do chão.

Grande Fernando Pessoa!

Um beijinho