quinta-feira, 2 de junho de 2011

Eleições

Pelas reportagens televisivas e pela leitura dos jornais on line, tenho seguido a campanha eleitoral dos partidos políticos.

Como jornalista que sou, embora já não no activo porque a idade fez de mim (contra vontade) um pensionista, sinto um arrepio percorrer-me a espinha com a despudorada manipulação a que assisto.

Para os jornalistas da SIC, da TVI, do DN, do Público, do Expresso, do Sol e, ultimamente, também do i, a campanha mais não é do que uma luta de Passos Coelho (PSD) e Paulo Portas (CDS) contra um espertalhão e tenebroso ser que se chama José Sócrates (PS). Para eles o PSD já ganhou as eleições e vai formar governo com o CDS. Os outros, BE e CDU não contam, não existem, por pertencerem à “segunda divisão política”, como recentemente disse o actual director-adjunto de Informação da RTP, Victor Gonçalves, recentemente importado dos Estados Unidos onde era correspondente da estação pública.

Hoje mesmo Miguel Sousa Tavares, até agora comentador residente da SIC, vestiu-se de repórter e foi para a rua acompanhar a campanha do PSD. Na reportagem incluiu uma entrevista a Passos Coelho (que considerou “surpreendentemente calmo”) - a mais dócil, amigável e submissa que vi fazer-se a um político.

Há dois dias o jornal i levou à sua capa, delas fazendo manchete, palavras de Júlio Castro Caldas garantindo que José Sócrates devia ter sido constituído arguido no caso Freeport! Para os que não se recordam, Castro Caldas é jurista e foi ministro da Defesa no governo do socialista António Guterres. Nunca foi convidado para qualquer cargo ministerial nos dois governos de José Sócrates. Ficou à espera, até agora, a três dias das eleições, para divulgar a sua opinião de que o i fez manchete!

Os meus leitores e amigos sabem que sou um homem de Esquerda. É como tal que emito as minhas opiniões, susceptíveis, naturalmente, de serem contraditadas por quem não pense como eu. Tenho para mim, tal como José Saramago, que “as verdades únicas não existem. As verdades são múltiplas. Só a mentira é global”. Dito isto.

Pelo que tenho ouvido, visto e lido, concluo que os Portugueses parecem não saber e não quererem perguntar para onde os cânticos da direita os querem levar.

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Acho que a culpa é minha. A partir do momento em que passo a admitir-me culpado o povo que em mim acredita vai votar nos isentos, nos inocentes, pessoas bem apessoadas, bem falantes...e tudo vai ficar pior que antes.

(Este povo gosta que lhe mintam...)

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Em qualquer profissão há quem a exerça com mais ou menos dignidade.
O meu caro faz parte de uma "escola" que já não faz "escola".
O importante não é a qualidade do trabalho apresentado. Mas o volume de vendas e o numero de audiências.
Tempos lixados...
Abraço

PS: Acabo de publicar um post, onde mostro a minha opção. Pode não ser a melhor, mas é aquela que em coerência decidi tomar.

rosa-branca disse...

Olá amigo Carlos, que bom que está de volta. Fico feliz de o ver por aqui. Quanto à política e á sua opinião, mais depressa eu votava em si do que naqueles palhaços que mais parece um circo do que uma campanha eleitoral. Tem um problema(tem muitos) mas o maior problema é que eles é que fazem as macacadas e nós é que vamos andar no trapézio. Beijos com muito carinho.

São disse...

Sou de ESquerda.

Contribuí para a maioria abslouta de Sócrates, pois temia a continuação do tremendo desastre Portas-Santana.

Claro que nunca mais votarei nem votarei Sócrates. Mas considero que tem sido alvo de ataques muito baixos.

Esperemos que no domingo haja uma votação maciça e que as pessoas saibam o que estão fazendo.

Boa noite, meu caro.

ematejoca disse...

É absolutamente normal que cada um queira puxar a brasa à sua sardinha, meu caro Carlos.

As eleições do próximo domingo vão-se resolver entre o PDS e o PS.
Paulo Portas, Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã somam juntos um terço do poder parlamentar português.
Embora tentem pescar votos do povo revolto da crise — ainda que seus candidatos e suas ambições sejam bastante distintas — não são candidatos de peso para os jornalistas se interessem por eles.

Volto já para agradecer os parabéns, meu amigo, porque não quero misturar alhos com bugalhos.

Maria disse...

Amigo Carlos.Folgo em vê-lo por aqui e que a saúde venha para ficar.Não sou mulher de direita,nunca o fui já votei em alguns,inteiramente feliz não estou,e digo que o Socrates está a ser enxovalhado por quem quer o poder a toda a força,lamento que os politícos não falem para nós mas a ver onde vão ficar.
Amigo já o adicionei novamente por aqui http:agulheta7.blogspot.com.Porque no outro blog primeiro tenho tido problemas que ainda não sei o porquê.
Beijinho bfs

ematejoca disse...

Pensei todo o mês de Maio no amigo Carlos, porque sei que Maio também é um mês importante na sua família.

Estou muito satisfeita que o Carlos esteja de volta, mesmo quando as nossas idéias políticas não sejam as mesmas, o seu blogue é um dos meus preferidos.
Pensando bem, ser da "Esquerda" é um campo muito vasto, eu cá considero-me da esquerda liberal.

Gostei imenso em receber as suas simpáticas palavras no dia dos meus anos. Muitíssimo obrigada.