sexta-feira, 10 de junho de 2011

As Armas de Portugal

A propósito do Dia de Portugal escrevo hoje com palavras da Acácia Rubra, roubando-lhe o seu post, incluindo o título, que aqui reproduzo:

“Vivi a criancice e parte da juventude em África.

E há coisas pequenas-grandes, que não consigo esquecer. Estou a voltar

irremediavelmente ao arcaz das minhas vivências.

Todos os dias, com a pontualidade britânica própria dos actos que se assumem, se

elevava ou se descia no e do poste a Bandeira Nacional. A parada formada, a

bandeira rigorosamente dobrada, o som do cornetim...

Quem passava atrás da vida a pé, parava e tirava o chapéu, se o trazia. Os que de

carro seguiam, desligavam o motor, saíam e todos, adultos e crianças, com respeito

sentido, se perfilavam enquanto durava a cerimónia.

Tudo isto porque há dias, numa conversa daquelas que, depois do jantar, é propícia

e porque ia haver um jogo com a Selecção Nacional, comentei que o nosso Hino era

empolgante. Contrapuseram que a letra era passadista, que o apelo às armas estava

descontextualizado, que a música sim...

Argumentei que a visão histórica que o Hino nos dá é o ponto de passagem para a

outra margem. Que AS ARMAS terão de ser as da

EDUCAÇÃO, EMPREGO, CULTURA, SAÚDE e LIBERDADE.

Essas possibilitarão "contra os canhões marchar, marchar".”


A todos um bom fim-de-semana prolongado.


6 comentários:

acácia rubra disse...

Estou emocionada de ver uma postagem minha no blogue de quem, como tu,tem o dom de tão bem casar as palavras, de transmitir as ideias.

Obrigada, Carlos!

Beijo

Ainda não desisti de ver este nosso Portugal elevar-se das brumas.

ematejoca disse...

Acabo de ouvir e cantar o nosso Hino Nacional de pé.

Gostei muitíssimo deste seu post, Carlos, e desejo-lhe um Dia de Portugal cheio de sol e alegria.

Evanir disse...

Carinhosamente passei para desejar um feliz final de semana .
Não encontrei seguidore no seu blog mais convido a conhecer meu blog e seguir se for pocivel ando sempre a procura de blogs de Portugal.
beijos com muito carinho,Evanir

folha seca disse...

Caro Calos Albuquerque
Num momento em que claramente a nossa soberania está posta em causa. Nunca é demais relembrar as cores e o significado da nossa bandeira e a letra do nosso hino.
Abraço

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
Dou-lhe os parabéns por publicar um texto de uma pessoa tão querida e especial.
Um texto em que estou também totalmente de acordo!
"contra os canhões marchar, marchar".”

beijinhos e bom fim de semana

Rogério Pereira disse...

Fez bem
Se tivesse visto
Talvez lhe repetisse (ou mesmo antecipasse) o gesto
Só agora irei por lá passar...