sábado, 28 de janeiro de 2012

Do Viajante (?)

Vem dos lados dali onde já não dorme os sonos, que se tornaram vazios de tudo. Traz dentro dele a tristeza, e de pavor ela é. No bolso o seu pião de menino, dele comendo o passado, tentando encontrar-se como ser que tivesse feito. Viaja com a saudade do ontem, e do agora que o tempo de hoje insiste em roubar-lhe. Já não ouve passar o vento. Não sente o calor, nem o frio, ou a chuva com o seu granizar. Tiraram-lhe o abrigo de um nome, e ao seu país a vida. 
Pelos caminhos do olhar andando, levado pela brisa, encontra o embondeiro a que se chega. A árvore, de mukuas caídas, qual tela de um qualquer nzambi pintor que por ali tenha andado, permite que ele se lhe aconchegue. Deixa cair os braços. Senta-se. Cruza as mãos sobre o joelho. 
É já crepúsculo. Ainda assim manda os olhos pela distância fora, em silêncio, à procura. Lá ao fundo, passado o cansaço de tudo, encontra umas luzes, que mais lhe parecem as chamas de uma queimada. Será aquela a terra dos deuses caídos? Será aquela a terra onde vive o amanhã?
Regressa ao embondeiro e à cacimba que lhe mata a sede. A Lua está a mostrar-se. A surucucu sairá, não tarda, para mais uma noite de caça. Logo mais quando o Sol abrir as portas, ele descruzará as mãos, libertará o joelho. Irá olhar-se no espelho de água da cacimba. Contendo um soluço, perguntar-se-á: Tu que me conheces diz-me, quem sou eu?

18 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Às amigas e amigos que aqui venham quero pedir que me perdoem a ausência
nas caixas de comentários dos vossos blogues.
Alguns desequilíbrios de saúde, exigindo exames e análises, têm-me enfraquecido o ânimo.
O mau tempo, porém, parece estar a passar. Tão-logo se vá, em breve o será, não estou disposto a dar-lhe muito espaço,voltarei a visitá-los.
A todos um grande abraço.
Obrigado

São disse...

Meu caro Carlos, se passar lá em casa , verá o que eu penso dos atrasos/ausências...

Desejo-lhe de coração, a rápida resolução desses males que o afligem

estreito abraço

acácia rubra disse...

Recebo e retribuo o teu abraço.

Fico preocupada, aliás já o estava. Pressentia.

Fazes-me um favor?
Põe-te bom num abrir e fechar de olhos. É que, se não o fizeres vou ficar de olhos fechados até regressares. Já viste a minha vida?

FORÇA!, digo eu agora.

À pergunta final do teu texto, respondo - és o AMIGO que me tem ajudado a caminhar.

Um beijo com muito carinho.

Fico 'aqui' à tua espera.

Laura

Luis disse...

Amigo Carlos Albuquerque,
Conforme diz a Sâo os amigos não se atrasam!
O que é importante é a sua saúde e essa que se não atrase... Portanto desejo-lhe que recupere depressa!
Um forte e amigo abraço.

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Amizade é um sentimento complicado de defenir (os sentimentos tem definição possível ?).
Há amigos que se conhecem de formas muito diferentes. No seu caso foi por aqui. Tudo isto para lhe desejar que aguente a "penada" e se mantenha operacional. As palavras (certas) escritas e ditas são indispensáveis. Abraço meu caro amigo.
Rodrigo

TERESA SANTOS disse...

Meu Mwata,

E eu a adivinhar, e eu a pressentir!

Como gostaria de saber o teu linguajar para te dizer, de forma doce, que rapidamente todos esses males te deixarão, que brevemente, muito brevemente, tudo irá voltar à normalidade.

Força, meu Mwata!

Um Mwata sem força? Alguma vez tal se viu?!

Abraço, querido Mwata.

acácia rubra disse...

Carlos

Sou uma 'chata'!

Como andas? Se puderes diz alguma coisa.

É agora a minha vez de te mandar, num sopro, ânimo e que estejas a refazer-te do que te atormenta.

Carinhosamente, um beijo

Filoxera disse...

A pergunta que, volta e meia, nos dá que pensar...

Espero que a saúde rapidamente melhore, e a disposição se torne condicente com o Sol que nenhum governo nos rouba :-)

Beijinhos.

Fê-blue bird disse...

Meu amigo só agora pude vir aqui e fiquei preocupada espero que já esteja melhor.
Este seu texto deixou-me profundamente comovida pois vejo nele todo o seu coração.


beijinhos e as melhoras

acácia rubra disse...

Olha, Carlos, não sei como me autodesignar... Talvez tu tenhas um qualificativo que me assente bem.

Tudo porque, no título da tua postagem, não gostei desde o primeiro dia do ponto de interrogação.

Como estás?

Eu, preocupadÍSSIMA.

Beijo, com todo o carinho

Laura

TERESA SANTOS disse...

Força, meu Mwata!

Não pertences ao grupo dos que se deixam vencer, logo...?
Essa maleita malvada tem que te deixar em paz, e rapidamente.

Abraço grande, muito grande, meu Mwata.

Brown Eyes disse...

Vou dizer quem sou eu: Alguém que vem para matar saudades daquela terra onde até as palavras encantam. Beijinhos

Maria João disse...

Há neste texto, o peso da vida e a nostalgia do tempo. O Viajante é um pensador especial. Sempre me tocou o seu olhar de alma inteira, a insistir voar para fora de um corpo que, dia a dia, o vai aprisionando. Às vezes vai, à bolina do vento, até chegar às suas mãos de menino, e aí, rodopia na memória, de braço dado com o seu pião. Outras, porém, percebe o cansaço dos passos e entristece. Olha-se no espelho de água da cacimba e ainda tem dúvidas, mas a sede que mantém, essa sede que alimenta a nobreza dos Homens justos, deverá chegar para reencontrar em si, todas as respostas que, por momentos, em dias de menor claridade, parecem querer fugir-lhe.

Um beijinho grande, Carlos.
Muita força e animo, meu amigo. Não se preocupe com mais nada, os amigos guardam-no no local certo, assim lhe pudessem dar tudo o que lhe falta.

acácia rubra disse...

Que bom chegar aqui e ver os comentários publicados!

Como te sentes?

Vou andar por 'aqui'.

Beijo carinhoso

Rosa Carioca disse...

O importante é a sua saúde. Desejo que haja rápidas melhoras.

TERESA SANTOS disse...

Presente!

Sempre, sempre!

Aguardo a tua vinda, venhas quando vieres.
Estou contigo. Acreditas?...

Abraço grande, meu Mwata.

acácia rubra disse...

Um beijo

Laura

folha seca disse...

Carlos
Se não me levar a mal deixo aqui uma pergunta "olá! Então como vais?
Um forte abraço.
Rodrigo