terça-feira, 17 de novembro de 2009

Tolerância/Solidariedade

Depois de ter editado o post anterior sobre a Tolerância, encontrei no blog bichocarpinteiro algo que me sensibilizou. Autorizado pela sua autora, reproduzo o texto e o vídeo que o inspirou. Não quis deixar de partilhar este trabalho com os amigos do Conversas Daqui e Dali. Por outro lado, parece-me que ele se liga, na perfeição, ao meu post sobre a Tolerância.
“A Solidariedade e a Vaia
A atitude de uma única pessoa faz, de facto, a diferença.
Natalie Gilbert, com treze anos, ganhou um prémio e foi cantar o hino dos EUA, num jogo da NBA com vinte mil pessoas no estádio. O início foi afinado mas, a dada altura, esqueceu-se da letra. Sozinha, no meio daquela imensidão e completamente desorientada, Natalie começou a ouvir as vaias. Estavam várias pessoas junto da miúda, porém só Mo Cheeks, técnico dos Portland Trail Blazers, se aproximou e cantou com ela, incentivando-a a prosseguir.
Todos nós já presenciámos acontecimentos semelhantes noutras circunstâncias e demasiadas foram as vezes em que não apareceram pessoas como Mo Cheeks...”
(Austeriana)

11 comentários:

Malu disse...

Amigo, pois darei as minhas mãos ao cazumbi que deixaste no meu canto, fecharei os olhos e deixarei que ele me conduza aos mistérios que preciso conhecer... somente os que preciso conhecer, nada mais.
Depois, na manhã seguinte, após passar pelos caminhos mágicos da noite, voltarei para te dizer o que me foi revelado.
Um beijo em teu coração

Agulheta disse...

Amigo Carlos!A tolerância é precisa e urgente em muitas coisas,aqui está a força de alguém para ajudar.Poderia começar pelos que governam os países e serem mais tolerantes e solidários.
Beijinho de amizade Lisa

Teresa disse...

Eu acho que é isso mesmo, a tolerância tem de começar em cada um de nós e nas pequenas coisas do dia a dia. Não vale a pena estarmos sempre a pregar contra governantes, G8 ou 20, desflorestadores da Amazónia; é no nosso pequeno mundo que temos de actuar, primeiro.
Abraço

(Ontem, estava muito cansada. Prometo que hoje edito as minhas considerações sobre a tolerância)

Sofá Amarelo disse...

Dizer mal é fácil... fazer o Bem é bem mais difícil e não está ao alcance de todos, só dos 'iluminados'... quando alguém cai devemos ajudá-lo a levantar-se e não enterrá-lo ainda mais... mas o espírito humano é mesmo assim: mauzinho!!!

ney disse...

Tem faltado tolerância, ela parece meio esquecida, desacreditada, ou mesmo desconfiada, porque muitas de nossas melhores atitudes e intenções acabam sendo entendidas ao contrário, e possíveis de se tornarem problemas. Muitos entendem então melhor ficarem omissos. O episódio do vídeo é um bom exemplo, sendo uma criança, diante de uma imensa platéia, muitos deveriam ter ajudado, mas só um teve essa importante presença. Mas a maioria quer sempre ser solidária, a sociedade é que se complicou em tantas burocracias e normas de convivência, e as maldades sempre existem. ney/

Fernanda disse...

Amigo Carlos,

Por acaso conhecia o vídeo, que é no mínimo uma licção de solidariedade enorme.
Há efectivamente pouquíssimos Mo Cheeks neste Mundo do bota abaixo...é mais fácil criticar e menosprezar do que ajudar, estimular, amparar quando necessário.

Felizmente há alguns. Tenhamos esperança que cada vez mais e com estes exemplos, surjam mais e mais pessoas capazes de ser mais tolerantes.

Beijinhos

elvira carvalho disse...

Foi uma atitude bonita de compreensão e de coragem. Porque não é fácil enfrentar uma multidão para ficar ao lado de alguém que está "em desgraça".
Um abraço

carmen disse...

s.f. Disposição de admitir, nos outros, modos de pensar, de agir e de sentir diferentes dos nossos: na vida social, a virtude mais útil é a tolerância.

Fui ao Aurélio.....
"Na vida social, a virtude mais útil é a tolerância".
Tão esquecida nos dias de hoje;
essencial, primordial, vital,
e tudo mais que se disser é pouco.
A beleza está na diferença, na singularidade do ser humano,
só assim a tolerância torna-se possível.
Abraços baianos

Fernanda disse...

Amigo Carlos,

Resposta ao seu comentário no meu Blog.

Essa é de morrer a rir...
Como são os olhos dos mouros??? Pensei que fossem iguais aos de toda a gente !!!

Não se consegue explicar, isso só pode ser brincadeira...

Abraço,

Cris Tarcia disse...

Ola, Carlos!

As pessoas estão carente de tolerância, de olhar para o outro com amor, respeito, lindo texto

Um abraço

Rosa Carioca disse...

É nos pequenos gestos que vemos as Grandes Pessoas. Abraço.