sexta-feira, 10 de julho de 2009

Mentir (Manuela Ferreira Leite)


Disse a 25 de Junho:
“Nós vamos rasgar e romper com todas as soluções que têm estado a ser adoptadas em termos de política económica e social, para que tenhamos resultados diferentes». Acrescentou defender “valores e princípios do PSD, de exigência, de rigor e de não enganar ninguém”, o importante é falar verdade.

Pouco mais de três semanas depois diz que não disse:
“Não há nenhuma medida anunciada por este Governo com a qual eu discorde. E portanto quando se diz rasgar políticas sociais, eu nunca disse que rasgaria políticas sociais”.
Manuela Ferreira Leite sabe, ou alguém por ela, que as palavras geram incertezas ao gosto de cada um. Por isso jogou com elas como jogou, mentindo com todo o descaro. O drible, porém, saiu-lhe mal. Quem lhe terá puxado as orelhas para vir agora dar o dito por não dito? Se a sua política de verdade é esta, estamos conversados!

4 comentários:

Raquel disse...

A Verdade

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade,
E a sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Carlos Drummond de Andrade

Carlos Albuquerque disse...

Ela está tentando pregar, por aí, a moral da verdade. Outros fazem o mesmo, já sabemos. Vamos chamar-lhes o quê? Moralistas? Aí peço a entrada de Mário Quintana: “Ah, esses moralistas... Não há nada que empeste mais do que um desinfetante!”
Raquel, com ou sem pregadores a poesia de Drummond de Andrade é sempre bem-vinda. Quantas vezes ela ajuda a dar um chega para lá na solidão!
Cumprimentos

Renato Santos disse...

ESTIVE COM ELA, POUCOS DIAS DEPOIS E NÃO FUI EU QUE LHE "PUXEI AS ORELHAS"

Carlos Albuquerque disse...

Olá Renato,
Antes o "puxão" tivesse sido teu. Gente da Casa Amarela só transmite o bem.A senhora ficaria melhor, aposto!
Um abraço