sábado, 10 de outubro de 2009

Saudade



Acordei com saudade de ontem.
Porquê?!


Talvez porque passou mais um dia – amigo que foi e não volta. Quiçá porque o ramo de afectos não é mais de hoje, mas de ontem ali recolhido ao colo das memórias.
Está Sol. Fui à varanda cumprimentar as plantas que lá florescem. A flor que ontem ao entardecer chorava porque a humidade embaciara a vidraça e a chegada da noite lhe furtara o dia, está hoje a sorrir. O caroço do abacate espigou! Já se vêem os bracitos das sementes do jindungo lançadas à terra, faz hoje uns dias. Lá fora a folha das árvores permanece verde. Um chorão ajoelha beijando o chão. Sobre a relva aparada do parque pinoteiam crianças, ouço-lhes o riso. Das mãos de uma delas solta-se uma bola azul, assim parecida com uma Terra pequenina que vai girando, deixando-se levar para a sombra da acácia. Porquê, então, esta saudade de ontem?

Saudade

Saudade – O que será... não sei... procurei sabê-lo
em dicionários antigos e poeirentos
e noutros livros onde não achei o sentido
desta doce palavra de perfis ambíguos.

Dizem que azuis são as montanhas como ela,
que nela se obscurecem os amores longínquos,
e um bom e nobre amigo meu (e das estrelas)
a nomeia num tremor de cabelos e mãos.

Hoje em Eça de Queiroz sem cuidar a descubro,
seu segredo se evade, sua doçura me obceca
como uma mariposa de estranho e fino corpo
sempre longe - tão longe! - de minhas redes tranquilas.

Saudade... Oiça, vizinho, sabe o significado
desta palavra branca que se evade como um peixe?
Não... e me treme na boca seu tremor delicado...
Saudade...

(Pablo Neruda, in "Crepusculário"
Tradução de Rui Lage)

19 comentários:

Filoxera disse...

Saudade existe porque sim. Está-nos no sangue, dizem...
Talvez porque os bons momentos, os velhos amigos ficam gravados no coração.
Um beijo.

ney disse...

Carlos,
Bom dia!
Descreveu tão bem que vi a varanda, as plantas, as crianças no parque. Por favor, diga a esse sol que venha até aqui o Rio de Janeiro, acho que ao Brasil todo, pois não pára de chover. Abraço, ney.

Ignoto Jardim disse...

Olá. Estava eu blogueando e achei seu blog. parei e adorei ler as coisas daqui. Se puder, visite o meu. Obrigada!

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO CARLOS, UM BELO E FELIZ FIM DE SEMANA... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNADINHA

Anna Bueno disse...

Vc convidou, eu vim...
Carlos, saudade é fechar os olhos e sentir o cheiro da pessoa, é sentir seu toque, saudade é dor gostosa.
Bjos!

Carlos Albuquerque disse...

Filoxera.
Pois...está-nos no sangue...
Só que ainda não percebi porque me deu a saudade de ontem.
Um beijo

ney.
Meu amigo, quando ia dizer ao Sol vá, vai lá para a terra de Ney, ele sumiu...
Obrigado pelo comentário
Um abraço

Carlos Albuquerque disse...

Ignoto Jardim.
Grato pela visita e comentário.
Já dei uma passada no seu blog.

FERNANDA&POEMAS.
Obrigado, Fernandinha.
Para ti, também, um óptimo fim-de-semana.

Carlos Albuquerque disse...

Ana Bueno.
Nem sempre, nem sempre a saudade é dor gostosa.
Obrigado por ter aceite o convite para visitar esta casa.
Bjos

Antonio saramago disse...

Pois!!!
pk será que pensamos sempre mais no ONTEM do ke no Amanhã?

Sofá Amarelo disse...

Costumo dizer que tenho saudades do... futuro!!!

Maria João disse...

Carlos

Essa suave, doce ou forte e por vezes dolorosa sensação, tão nossa.. a saudade!
Ao longo do tempo, vamos aprendendo a viver com ela como uma espécie de amor fraterno que nos liga a um só destino. Ao longo da vida, vamos tomando o gosto por saborear cada dia como unico que é, sabendo que depois a saudade dele toma conta e nos invade, como aconteceu a si, no dia seguinte.

Um beijinho

nereida disse...

Bom dia , Carlos! Foi uma grata surpresa para mim, encontrar tão interessante comentário no meu despretensioso "cantinho" e... de tão longe!
Vindo conhecer melhor o autor do comentário, deparei-me com um belo poeta, autor de artigos e poemas encantadores como o de hoje postado! Não dá para não seguir...
Sobre saudade, tenho alguns escritos e pelo que me consta nenhum tem sabor de alegria; todos tem um gostinho amargo de "quero mais daquilo vivido e perdido..."
Essa semana postarei algum sobre o tema e gostaria de sua apreciação, viu? Lembre, apenas, que em meio a tantos mestres na arte de escrever que lá estão publicados, sou meramente( e o serei sempre!)uma aprendiz das letras. Abração e um domingo feliz!

MEUS PENSAMENTOS disse...

OI QUERIDO OLHA QUE TBM ANDO ME SENTINDO ASSIM ,MAS ACHO QUE ESSE ONTEM FOI É BOM DEMAIS POR ISSO DEIXA SAUDADES BOM COMEÇO DE SEMANA!

Sininho disse...

abracinho para ti da terrinha do nunca, estás a precisar ;)
bj

Sininho disse...

Ney: é o que eu digo, o homem tem eito de Eça de Queiroz :)

Carlos Albuquerque disse...

António Saramago.
Boa pergunta!
Um abraço

Sofá Amarelo.
Pois...só falta a máquina do tempo...!
Forte abraço!!!

Maria João.
Talvez seja como diz - saborear cada dia como único".
Um beijo

mariabesuga disse...

talvez porque hoje é amanhã de ontem e foi de ontem que saíste para o dia de hoje embora o ontem tenha ficado lá atrás dando lugar...

um abraço, Carlos

Carlos Albuquerque disse...

Nereida.
É um prazer vê-la por aqui!
Publique seus escritos sobre a saudade. Gostava de os ler.
Abração

Meus Pensamentos.
Então, vamos acertar - fazer do amanhã também bom demais.
BJS

Sininho.
Um abraço amigo sabe sempre bem.
Obrigado. Quanto ao jeito à Eça - "tomara, meu bem, tomara..."
Beijo

Carlos Albuquerque disse...

mariabesuga
Estava eu tão sossegadinho...e apareces tu com o amanhã de ontem, o ontem de que saí para hoje, ainda que o ontem tenha ficada lá atrás...
Bom, tenho que ir lá atrás ver o que se passa!
Um beijo, Maria