sexta-feira, 26 de junho de 2009

É o que temos (PT/Média Capital - 2)

Sedução pelo abismo


O PM disse hoje que se oporá ao negócio PT/Média Capital porque não quer que “haja a mínima suspeita de que a compra de parte da TVI se destina a qualquer alteração na sua linha editorial”. Compreende o interesse empresarial da PT, sobejamente esclarecido na véspera por um dos seus administradores em entrevista à RTP, mas “não quer que este negócio possa ser visto por partidos ou por protagonistas políticos como uma tentativa de influenciar uma qualquer linha editorial…Eu próprio tenho feito críticas à linha editorial da TVI e, por isso, quero que seja absolutamente claro e transparente que o interesse empresarial da PT não é intrumentalizável para outro fim que não seja esse interesse empresarial”.
Para o PM o PR esteve bem: “...exprimiu um desejo que é consensual na sociedade portuguesa no sentido de que todas as acções empresariais tenham o máximo de transparência – e acho que a PT o teve quando comunicou à Comissão de Mercados Valores Mobiliários (CMVM) as suas intenções”.
A Prisa, accionista maioritária da Média Capital, não comenta a decisão do PM.
Os partidos políticos aplaudem o PM. Não não é consolo, antes uma novo libelo acusatório, agora dizem que estavam certos nas acusações que fizeram. Um deles, o BE, foi claro: a decisão do PM foi acertada mas só veio provar que havia algo de obscuro!
Título de imprensa: pressão política evita saída de Moniz.
Manuela, a do PSD, diz que tinha razão.
Apareceu no meio da confusão: Marques Mendes, a pedir boleia, gritando que o Governo quer ter um pé na TVI. Este senhor? Então não foi secretário de Estado com a tutela da Comunicação Social quando Cavaco Silva era primeiro-ministro e Moniz o patrão da RTP? Esqueceu-se do que se fazia na estação pública? Porque não se cala?!?
Moniz: disse ele, ontem, que o negócio PT/Média Capital era bom para a TVI. Sobre ele escreve agora o Semanário Sol que a Prisa havia já decidido a sua demissão, há uns dias, estando o anúncio iminente. Faltava apenas concluir a negociação da elevada cláusula de rescisão prevista no contrato de Moniz, seis milhões de euros, o equivalente a um salário de cinquenta mil euros por mês, ordenado que receberia se concorresse e fosse eleito presidente do Benfica.
Fica claro porque Moniz era a favor do negócio. Ao que dizem a Prisa está com falta de liquidez e a venda à PT sempre era uma ajuda para pagar a tal rescisão.
Frustrado: Moniz que vê fugir-lhe o pássaro da mão, perdão os milhões. Quando será a candidatura à presidência do Benfica?
Certeza: Moniz tem bons padrinhos políticos a começar pelo PR que, este sim, não se esquece de tempos antigos.
Esteve mal: O PM parece seduzido pelo abismo. De que teve medo? Quem não deve não teme. Não há bala que corte a razão a uma consciência limpa. O que fez hoje transformou as dúvidas de muita gente em certezas de que havia gato escondido! Este é o segundo tiro que deixa darem-lhe no porta-aviões. O primeiro foi o TGV. Não deveria ter cedido. Por este andar, não tarda, perde a armada. É que o terceiro tiro está aí à vista: A Comunicação Social. Foram reveladas mais fraudes no BCP. Das grossas, envolvendo antigos administradores afectos ao PSD. Silêncio, a história está esquecida nos alinhamentos das notícias, o jornalismo de investigação esmoreceu. Corporativismo? Talvez. A SIC é de Pinto Balsemão, a TVI da generala e do marido, as rádios e jornais da Sonae, Lusomundo, Cofina, etc.
Os trauliteiros estão de moca afiada.
Também esteve mal: O PR. Nunca se lhe escutou, como desta vez, uma única "sugestão" ou aconselhamento sobre temas de relevância nacional, e muitos foram os polémicos, como o caso Dias Loureiro/Conselho de Estado em que se fechou no silêncio como viria também a fazer Manuela Ferreira Leite. O Presidente da República e a presidente do PSD nem sequer esconderam o gato - fizeram do negócio PT/Média Capital o que este não era: uma jogada política!
A opinião pública vinga-se da crise. Está como os que sofrem de depressão, atira-se à comida que apanha e engorda morbidamente. Quer é fofocas e coscuvilhice a ver se mata a fome aos bolsos vazios. Nada que dê muito trabalho.

1 comentário:

Antonio saramago disse...

De uma rápida passagem,muito obrigado e bom FDS. Voltarei..