quarta-feira, 3 de junho de 2009

Tormenta (A morte do Paulo)



3 De Junho de 1992

Era, como hoje, uma Quarta-feira.
O Paulo partiu, andava eu por longe.
Só cheguei a tempo de lhe dar um beijo sem retorno.
Consome-me a ira pela sua morte; não vivera ainda 25 anos.
Dói-me o meu ser, em sofrimento.
Choro a sua ausência, na solidão da amargura, na impotência de o não ter evitado, na angústia de não o voltar a ver, na revolta por ter ficado por ouvir e dizer tudo o que ficou. Choro na minha pequenez incapaz, por ele ter ido sem um último adeus.
O que agora vem à tona é um vazio cheio dele; uma tormenta que me açoita e me persegue. Só a disfarço, nas noites de insónia e no virar dos dias, levando-me ao engano, fingindo.
Não tenho alma nem espírito.
Que ouvidos me ouvem, que olhos me vêem?
Para onde dizer tenho eu, agora, senão para esta cova profunda, e só, que me devora o peito: Olá, Paulo!

4 comentários:

Filoxera disse...

Este texto é duma tristeza tão profunda que deixo apenas um abraço solidário, esperando que não reflicta o que penso...
Voltarei.

Ana Barata disse...

desde Abril que tenho "visitado" o seu cantinho. Gosto muito de ler o que escreve, relata tão bem as suas vivências! mas nunca, lhe disse que "estou aqui", nunca sei muito bem o que dizer perante a riqueza do que ouço.

mas hoje quero que saiba que lhe deixo um abraço sem palavras, dizer-lhe uma frase que a minha mãe repetia muitas vezes: as coisas duras da vida só acontecem a quem tem capacidade de as suportar. e eu, com a ignorância da minha juventude, dizia-lhe, revoltada, que não era justo.

Maria disse...

Sei desta dor. Da perda. Das perdas.
Conseguimos sobreviver, apesar de tudo...
(ainda que um nó na garganta)

Um abraço

Marcinha disse...

Oi querido Amigo Carlos

Hoje que li seu comentário no blog , no post que fiz dedicado ao meu querido filho que faleceu...
Fiquei triste ao saber que voçê também teve que passar por tamanho sofrimento...
Infelizmente não temos explicação para essas tragédias , mas temos que continuar caminhando e não perdendo a fé em Deus, na vida e nas pessoas , por que se não desanimamos com certeza...
Entendo e sou solidária a sua dor , pois somente quem passou coisa semelhante na vida pode entender que angustia e sensação de impotencia nos dá ao passarmos por uma situação dessas.
Se eu pudesse estar ai ao teu lado te daria uma abraço , mas receba ele pela blogosfera ...
Obrigada por sua amizade , te encontrar no meio de tantas pessoas é realmente algo divino eu creio...
PS: Tem um questionario especial prá tu responder lá no blogterapia, não deixe de postar aqui vou adorar ler as respostas..
beijos e bom final de semana